30/06/2011

25/30 - Ma Vie en Rose

Pra quem ainda não viu, antes de tudo deixo a dica: Não deixe de assistir o filme Ma Vie en Rose, que conta uma história de luta de um menino para ser ele mesmo. E sim, é um menino, uma criança, que desde cedo busca ser quem realmente nasceu para ser. Lição de moral, lição de vida, de superação... Enfim, não sei. Depende do ponto de vista de cada um. Só o que sei é que, além de tudo, uma Lição de Amor.

--
E vivemos nossas vidas as vezes tão preocupados em agradar a tudo e a todos que deixamos de ser quem realmente somos, ou querermos ser. Tudo para parecer fazer parte de uma sociedade hipócrita que nem mesmo tem coragem de admitir que é hipócrita. Passamos por cima de sonhos, vontades, desejos, para enfrentar a vida. 

Mas isso é realmente enfrentar a vida?? Ou é simplesmente dar a volta nos obstáculos pelo caminho 'mais fácil' ?? Por acaso não dói ter que deixar de lado algo que você tanto quer ?? E se dói, não é melhor ser quem você é mesmo que isso te cause certas dores ??

Estou dizendo que é fácil ?? Não. Não é fácil. Assim como deixar-se de lado também não é. 

Pensando dessa forma talvez isso nos dê coragem de encarar a realidade como ela deveria ser e lutar para que ela se concretize. Sempre voltando à questão do respeito pelo próximo e por si mesmo, posso tentar dizer que você pode tentar ser quem você é, não ferindo outras pessoas, respeitando todas as diferenças, pois afinal todos somos diferentes, todos temos nossas particularidades. Tentar ser quem realmente somos já pode fazer a diferença. Aceitar quem somos também. Aceitando quem se é ajuda a aceitar quem os que estão à nossa volta são.

São hipócritas ?? Deixe que sejam. Busque a sua verdade e seja você.

É difícil conseguir. E nem sempre podemos ter o que queremos, mas podemos tentar...

Myrian Rios: Lamentável (Por Walcyr Carrasco)

Por Walcyr Carrasco

Fonte: Blog do Walcyr

--


Houve um tempo em que tudo era bonito. Eu via a Myrian Rios na televisão e achava simpática. Depois, casada com Roberto Carlos, me deixou uma boa imagem (eu sou fã do Roberto, confesso). Só a vi uma vez pessoalmente, nessa época. E  me espantei com o tamanho do decote e a saia curta.
— Faltou pano, diria minha tia.
Nunca foi uma boa atriz. Para dizer sinceramente, era medíocre, pelo menos na minha opinião. Mas graciosa.  A idade chegou, separou-se de Roberto, e os papéis escassearam. Ou ela abandonou a carreira. Ou as duas coisas aconteceram ao mesmo tempo.
Myrian Rios tornou-se deputada pelo Rio de Janeiro.  E, agora, foi divulgado um discurso em que ela ataca a antidiscriminação aos gays. Myrian Rios falou contra a PEC 23/2007, segundo a qual seria discriminação a recusa a contratar um empregado por ser gay ou lésbica.  Inclusive, misturou orientação sexual e pedofilia, dizendo que um funcionário gay poderia assediar seu filho ou uma babá lésbica, as meninas.  Pura discriminação. Acaso acredita que um motorista heterossexual atacaria também suas filhas?
Eu tenho certeza de que ao longo de sua vida Myrian Rios conviveu com inúmeros homossexuais. Talvez ainda conviva.  Provavelmente, agiu como amiga. O que a fez  assumir essa posição preconceituosa? Se foi só para conquistar votos, buscando um espaço político conservador, é triste. Mas a minha impressão é uma só: Myrian Rios deve ser muito burra.
Só mesmo a falta de inteligência faz alguém confundir orientação sexual com pedofilia. Se ela afirma que não quis dizer isso, pior. Então, não sabe nem criar um discurso coerente.
Só não passou uma coisa pela cabeça da nobre deputada: não é porque uma criança é criada junto a um ou uma homossexual que terá a mesma orientação sexual. Afinal, a maioria absoluta dos homossexuais é filha de casais héteros.
Alguém discorda?

29/06/2011

24/30 - Saudade

A saudade é uma coisa tão feia que nem deveria existir... É um sentimento cheio de sentimentos, que fica trazendo à mente lembranças que estão guardadinhas lá no fundo, e que as vezes deixamos lá simplesmente porque não queremos ficar lembrando... Daí vem a Saudade e trás tudo de volta... Do seu jeito, amarga, ferida, triste, ansiosa, febril... e por quê não dizer feliz??!! São tantos sentimentos que vejo de forma difícil conseguir explicar. Por isso paro de tentar. 

Vou curtir minhas saudades.


28/06/2011

Lançamento do Livro: A Escola no Século XXI

É com prazer que anunciamos o lançamento do livro “A Escola no Século XXI”, o primeiro da série de quatro volumes, no dia 30 / 06 / 2011, às 19 horas, no auditório do Setor de Ciências Sociais Aplicadas, da UFPR.
Concebido na UFPR, a partir do Programa de Desenvolvimento Educacional da Secretaria de Estado da Educação do Paraná e construído de forma colaborativa por autores de todo o Brasil, a obra apresenta reflexões sobre o processo ensino-aprendizagem e as inquietações da gestão escolar diante da incorporação e uso das novas tecnologias na educação, da Educação Infantil ao Ensino Superior.
Pelo portal, vocês podem obter mais informações e acessar áreas interativas sobre a obra
ou para os twiteiros,          
 
São os organizadores, Marcus Garcia de Almeida e a Profª. Maria do Carmo Duarte Freitas / UFPR, do DECIGI / UFPR


24/06/2011

Bolsas do PROUNI


--
Por Rafael Targino

Em seis anos, uma em cada três bolsas do PROUNI ficam ociosas.


Uma em cada três bolsas do Prouni (Programa Universidade para Todos) oferecidas desde o começo do programa, em 2005, não foi preenchida. O total de bolsas ociosas em seis anos chegou a 427.438 – 33,1% de todas elas.
O número foi obtido por meio de dados de um levantamento estatístico do MEC (Ministério da Educação), disponível na página do Prouni na internet. Entre 2005 e o primeiro semestre de 2011, foram ofertadas 1.291.209 bolsas, com 863.771 (66,9%) preenchidas. O restante representa o total ocioso.
No primeiro semestre deste ano, 4% das 123 mil bolsas oferecidas ficaram ociosas na primeira etapa, apesar de mais de um milhão de candidatos terem se inscrito. A maioria, disse o MEC na época, era de cursos de educação à distância e/ou bolsas parciais. A ocupação foi maior nas integrais. O programa concede incentivos de 25%, 50% e 100% da mensalidade.
Até o primeiro semestre deste ano, o Prouni funcionava por meio de isenção fiscal em relação às bolsas oferecidas –se a universidade oferecesse 100 bolsas, a redução nos impostos seria relativa a todas, mesmo que não fossem totalmente preenchidas. Ou seja: neste período, o governo simplesmente deixou de arrecadar dinheiro.
Em 2009, uma análise do TCU (Tribunal de Contas da União) estimou que possa ter sido perdido, só nos dois primeiros anos do programa, um valor em torno de R$ 100 milhões.

Regras

Para José Roberto Covac, diretor jurídico do Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de SP), uma das principais razões para que sobrem tantas bolsas são as próprias regras do Prouni. Elas determinam faixas de renda e proíbem que o candidato tenha feito o ensino médio em escola particular sem bolsa integral.
"É usar o critério passado-presente. 'Eu paguei R$ 1 numa escola particular. Hoje tenho renda per capita de um salário mínimo. E não tenho o direito'", exemplifica.
Segundo Covac, não é possível dizer que as instituições usem as bolsas do Prouni como "artifício" para pagar menos imposto. "A lei diz: ofereça as vagas. O MEC faz a seleção naqueles critérios. Como os critérios estão na lei, se não se preenche [a vaga], a instituição não pode ser penalizada por isso", afirma.

Detalhamento

O secretário de Educação Superior do MEC, Luiz Cláudio Costa, diz que o órgão está preparando um levantamento mais detalhado para tirar eventuais casos de dupla contagem, já que a mesma vaga pode ter sido oferecida duas vezes. Ele lembra, no entanto, que também há dificuldade de preencher determinadas bolsas, como as reservadas para cotas.
Site do PROUNI aqui.
Costa afirma que o MEC tomou duas ações para tentar reverter o número de bolas que sobraram. “A primeira delas foi a lista de espera [após as etapas de seleção normais]. A medida provisória que determina que a isenção fiscal seja proporcional a vagas efetivamente preenchidas foi a segunda“, diz.

Para ver o perfil dos bolsistas, clique aqui.

23/30 - You can't always get what you want !!





No, you can't always get what you want 
 Não, você não pode ter sempre o que quer 
You can't always get what you want 
Você não pode ter sempre o que quer 
You can't always get what you want 
Você não pode ter sempre o que quer 
But if you try sometime you find 
E se você tentar, algum dia você encontra
You get what you need 
Você encontra o que precisa
(Fonte Letra e Tradução: Cifras.com.br)
--
Você nem sempre pode ter o que quer, mas se você tentar pode encontrar o que precisa ;)

22/30 - Marketing

Quem nunca ouviu falar em marketing que atire a primeira pedra ! Ou quem pensa que sabe o que é o marketing, também pode atirar a primeira pedra.

Tema quase banalizado em nossa literatura e vocabulário, o marketing vem sendo utilizado em tantas aplicações diferentes que muitas vezes nem sabemos mais como nos referir à ele. Mkt pessoal, de relacionamento, estratégico, institucional, endomarketing, ecomarketing, e uma série de outras nomenclaturas e denominações para a palavra que nos traz a memória o sentido de 'troca'. Sim, troca. Mercantilização... Seja de produtos, serviços, favores, atenção... Troca. Marketing é troca. É claro que possui inúmeras particularidades em cada uma de suas aplicações, e com vários teóricos defendendo suas teorias.

Mas as vezes é complicado ver livros tratando o tema como uma receita de bolo, que medindo a publicidade aqui, regulando o corpo funcional alí, colocando um programa como um CRM lá; que tudo vai mudar na sua empresa e ficar lindamente como as estorinhas quase utópicas que se lêem em alguns livros de receitas de mkt... 

Isso pode acontecer ?? De maneira parecida pode sim... Mas com uma simples receita ?? Creio que não... As atividades de marketing vão muito além do setor de marketing implantado nas empresas. Envolvem todos os funcionários e stakeholders das organizações. Envolvem pessoas, que tem seus próprios valores, crenças, expectativas, motivação...

Por isso sou contra 'livros que se autodenominam' manuais de marketing para fazer a sua empresa decolar. Sou muito mais do tipo que prefere passar um bom tempo estudando a literatura do assunto e de temas afins para compreender um pouco de suas atividades, e aconselho. Porque vale muito mais entender grande parte do tema para criar a sua própria forma de fazer marketing do que comprar livrinhos que vão 'turbinar sua empresa'. Antes de saber negociar é preciso conhecer as pessoas que vão estar envolvidas no processo, desde clientes à vendedores/prestadores de serviço.

E tenho dito !!!!

21/30 - Aceitação

Aceitar quem realmente somos é algo pra lá de complicado. Imaginem então como é aceitar quem as outras pessoas são... Pois é. É um desafio maior ainda, principalmente se pararmos para pensar e percebermos que nem sempre estamos dispostos a aceitar quem as pessoas que nos cercam realmente são. 

Essa é uma questão de crise existencial? Não. É mais uma questão de consciência.

A vida em sociedade nos trás muitas reflexões quando conseguimos aproveitar um mínimo das possibilidades que ela nos oferece. Hoje, em conversa com um amigo - que vai se reconhecer quando ler esse pequeno texto - várias questões foram trocadas. Existencialismo, vocação, aceitação de si e do outro, religião... Vida. E dentre esses o que me deixou mais pensativo foi a questão de que nem sempre aceitamos quem nos cerca em toda a sua essência.

Estamos, na maioria das vezes, buscando complementaridades nas outras pessoas, de forma que o que não nos interessa é deixado de lado. E muitas vezes o que deixamos de lado é exatamente o que poderia fazer grande diferença... Selecionamos nossos amigos pelas características que nos agradam, e ao sinal de incompatibilidade colocamos um pé atrás nessa relação de 'amizade'. Descartamos a essência dos outros, e talvez com isso estejamos descartando a nossa própria essência.

É perceptível que fazemos isso com tudo, amigos, companheiros, colegas, roupas, alimentos, materiais de estudo... O que nos interessa dedicamos atenção porque queremos algo em retorno. O que não é interessante nesse momento é deixado de lado, ou mesmo eliminado.

É a individualidade falando mais alto. O 'pensar em si' dizendo que precisamos ser quem somos custe o que custar... É a nossa natureza falando mais alto. 

E isso é paradoxal (frase constante no discurso de outro amigo) ?? Pode ser... Mas difícil mesmo é encontrar um ser humano que não seja paradoxal pelo menos uma vez na vida. É a natureza. É o paradoxo do existir.


20/06/2011

19/30 - Escrever

Não posso afirmar que perdi o prazer em escrever (escrever ainda no sentido de escrita com papel e caneta) porque ainda escrevo. Ainda gosto de fazer. Tento fazer... O que não tenho mais é paciência para esperar as letras se formarem no papel, com aquela mágica da tinta se soltando pela ponta giratória da caneta (sim, porque não sou do tempo da pena e tinteiro) e tingindo o papel, geralmente branco, com formas arredondadas e bem definidas...

Não é fácil ficar esperando para ver as letrinhas no papel dizerem alguma coisa... O computador facilitou nossas vidas, assim como várias outras TIC's (tecnologias de informação e comunicação), e como tudo na vida, trouxe o lado ruim, que para mim é a perda da paciência de escrever. 

Gosto e continuo escrevendo, mas muito menos do que antes. 

Espero que possa voltar a encher cadernos com minhas lindas letrinhas pretas e azuis. Quero mesmo. Quero muito. E tento... Assim, vou tentando.

19/06/2011

16/30 - Abandono

O que vai acontecer comigo quando eu ficar velhinho e não puder cuidar mais de mim ?? O que vai ser de você quando ficar velhinho e não puder se cuidar por conta própria ?? Porque sim, um dia chegaremos lá. E quando esse dia chegar, ainda não podemos saber como vai ser.

As vezes vejo cenas que me deixam completamente chocado. Cenas de abandono, descaso, descuido, desatenção. Pessoas que já não tem a mesma vitalidade de outrora e que hoje sofrem sozinhas, mesmo tendo passado boa parte de suas vidas se dedicando a cuidar de outras pessoas, em sua grande maioria filhos, que hoje lhes viram as costas, como se fossem um fardo que se pode deixar pelo caminho.

E casas de repouso existem, mas nem todos tem acesso e nem todas dedicam o devido respeito e atenção que os 'pacientes' necessitam...

Pessoas são pessoas. Merecem respeito em qualquer circunstância e a qualquer tempo.

Lição de moral não é a minha intenção, em hipótese alguma... Mas colocar a mão na consciência não faz mal pra ninguém, né :)

Fonte da Imagem: Informe Notícias



15/30 - Elemento Socializador

Quando você quer convidar alguém para visitar sua casa, o que você propõe ?? Geralmente um jantar, um almoço, um lanchinho... Enfim, comida. A comida é por natureza e tradição o elemento socializador mais utilizado, seguido pelas bebidas... E comer é tão bom... Socializar é tão bom... Companias agradáveis são tão boas :) 

Eu amo socialização !


:)

14/06/2011

13/30 - Alunos são sempre os mesmos.

Que aluno nunca disse (ou no mínimo pensou algo parecido) "Quando o professor está com preguiça de preparar e dar aula ele nos dá seminários" ?? Pois que atire a primeira pedra quem nunca cometeu esse grande pecado.

E falo grande porque hoje compreendo a importância dos seminários em sala de aula... E esse pecado eu também já cometi, em meu primeiro ano de faculdade, mas foi mais pela circunstância do que pelo sentimento. O fato é que cometi. 

A maioria dos alunos está acostumada com uma forma de ensino na qual o professor está lá na frente da sala, falando falando falando para os que querem ouvir. Os alunos ficam sentados ouvindo (ou na maioria dos casos fingindo que ouvem, e fazem mil e uma coisas durante as aulas que consideram tediosas) tudo o que é dito lá na frente, querendo apenas estudar para decorar a matéria que vai cair na prova, sem a preocupação de aprender o que está estudando, e principalmente de compreender o porquê do ato desse aprender.

O erro é dos alunos ?? Talvez. Mas o erro também é do Governo, que deveria oferecer um ensino de qualidade desde as séries iniciais até os cursos de graduação e pós-graduação.

O fato é que o brasileiro não sabe aprender. Nossos alunos se preocupam apenas em 'passar de ano', conseguir um diploma e acreditam que com isso tem um lugar garantido no mercado de trabalho. Nossos alunos querem conteúdos mastigados, e quando encontram um professor que lhes aplica atividades que exijam um pouco mais de pensamento crítico, por não estarem preparados, colocam-se em uma posição de defesa, atacando o professor que está ocupando um lugar de carrasco em suas vidas.

Concordo se me disserem que tem professores que não tem vontade de elaborar aulas e que por isso promovem discussões desencabidas e seminários sobre temas que talvez não tenham fundamental importância para a formação de seus alunos. Mas também concordo com os professores que dão aulas, preparam conteúdos e colocam seus alunos para fazerem seminários, os quais esses professores vão assistir e devolver um feedback com os pontos positivos e negativos da apresentação, mostrando aos alunos se eles aprenderam ou não o que lhes foi proposto.

E tenho certeza que muitos alunos sabem que os seminários são importantes mas não querem admitir, preferindo adotar o papel de vítimas que sofrem por ter que ler páginas e páginas de textos. Mas o mercado de trabalho na maioria das vezes não vai aceitar seu papel de vítima quando você disser que não sabe fazer determinada atividade porque seus professores nunca lhe ensinaram... Ou o mercado não vai ser condescendente com alguém que não consegue expressar suas idéias em público, simplesmente porque esse indivíduo não quis participar dos 'perigosos seminários' desenvolvidos no ambiente que deve proporcionar o aprendizado. Mercado de trabalho é um lugar para aprendizado também, e riquíssimo por sinal, mas é principalmente um lugar para práticas que foram aprendidas durante os cursos de formação, sejam eles cursos técnicos, de graduação, tecnólogos, de pós-graduação, ou outras modalidades.

E se você estudante que está passando por aqui ainda não pensou no que acontece quando apresenta um seminário, pare e pense: Você deve estudar muito o conteúdo, conseguindo assim maiores chances de aprender o tema; estudar conteúdos correlatos para compreender e poder explicar os porquês de cada condicionante no trabalho apresentado; se preparar para falar em público, pois estará apresentando um trabalho para colegas e professores, que podem lhe auxiliar nessa tarefa de encarar uma platéia, com a vantagem de que vai receber um feedback com dicas de como pode melhorar suas formas de comunicação; melhorar a capacidade de síntese, pois nem tudo o que você ler poderá ser apresentado, cabendo aos apresentadores selecionar o que é mais importante e apresentá-lo de forma clara; e outros fatores que cada um pode perceber de acordo com suas próprias habilidades, ou inabilidades.

Enfim... Os seminários são importantes sim, e embora o professor esteja com preguiça de dar aula e tenha lhes programado seminários, aproveite. Estude, prepare-se, entenda o conteúdo, pois é essa uma das maneiras de trabalhar a questão da efetividade na compreensão dos conteúdos estudados em sala de aula. 

12/06/2011

Inteligência Competitiva X Inteligência Organizacional

Gente, a confusão está sendo feita em minha cabeça...

Estou estudando com mais profundidade sobre a Inteligência Organizacional (IO), porém o que venho encontrando na literatura sobre o tema está um pouco confuso, por enquanto - para mim -, pois a maioria dos textos apresenta-se como sobre inteligência organizacional (IO), mas quando leio, os trabalhos falam sobre inteligência competitiva (IC).

Em curtas palavras, a diferença básica entre as duas é:

IC - atividade voltada para fora da organização, buscando coletar dados e informações sobre o mercado e os concorrentes, para serem utilizados nas tomadas de decisão (sobre a IC, artigo com mais informações aqui. "A Inteligência Competitiva é um instrumento geralmente utilizado por empresas para eticamente identificar, coletar, sistematizar e interpretar informações relevantes sobre seu ambiente concorrencial" (CANONGIA, et. al. 2004).

IO - voltada tanto para fora da organização (como a IC), mas também olhando para dentro da empresa, a fim de compreender e utilizar a seu favor as capacidades, conhecimentos e habilidades de seus funcionários, bem como uma melhor utilização de todos os recursos disponíveis, tanto para a tomada de decisão como para processos de adaptação interna e externa (sobre a IO, artigo com mais informações aqui). "Podemos definir o conceito de inteligência organizacional como a capacidade da empresa de mobilizar todo seu potencial intelectual disponível e concentrar tal capacidade na realização de sua missão" (ALBRECHT, 2004).

Mesmo sendo complementares, cada um tem suas particularidades... Então, deixo aqui meu pedido:


Se você conhece sobre o tema, tem materiais sobre tal, por favor entre em contato e se possível me indique onde encontrar materiais bons (livros, artigos científicos, teses e/ou dissertações abordando a Inteligência Organizacional e seu impacto nas atividades organizacionais) que possam agregar conhecimentos e contribuir para a construção de outros.


Desde já agradeço !

11/30 - Terapia

Procurando um terapeuta ??


Segundo Liz Gilbert (Julia Roberts), em Comer, Rezar e Amar: Vinho = Terapeuta

ps: 'I agree'

09/06/2011

'Águas de Março' em junho, ou em qualquer outro mês...

Com Elis Regina sempre cai bem.




:)



10/30 - Ciranda da Bailarina

Nessas horas eu gostaria de ser bailarina... Quase tudo que a gente tem ela não tem... Ops, e agora ?? Ela não tem um primeiro namorado... Mas ela não tem pereba :)

Vamos analisar, depois decido se quero ser 'bailarina' ou não :)
Enquanto isso, vejam a Sandy cantando Ciranda da Bailarina, em 2009, no Criança Esperança :D





Ciranda da Bailarina
(Edu Lobo e Chico Buarque)

Procurando bem
Todo mundo tem pereba
Marca de bexiga ou vacina
E tem piriri, tem lombriga, tem ameba
Só a bailarina que não tem
E não tem coceira
Verruga nem frieira
Nem falta de maneira
Ela não tem
Futucando bem
Todo mundo tem piolho
Ou tem cheiro de creolina
Todo mundo tem um irmão meio zarolho
Só a bailarina que não tem
Nem unha encardida
Nem dente com comida
Nem casca de ferida
Ela não tem
Não livra ninguém
Todo mundo tem remela
Quando acorda às seis da matina
Teve escarlatina
Ou tem febre amarela
Só a bailarina que não tem
Medo de subir, gente
Medo de cair, gente
Medo de vertigem
Quem não tem
Confessando bem
Todo mundo faz pecado
Logo assim que a missa termina
Todo mundo tem um primeiro namorado
Só a bailarina que não tem
Sujo atrás da orelha
Bigode de groselha
Calcinha um pouco velha
Ela não tem
O padre também
Pode até ficar vermelho
Se o vento levanta a batina
Reparando bem, todo mundo tem pentelho*
Só a bailarina que não tem
Sala sem mobília
Goteira na vasilha
Problema na família
Quem não tem
Procurando bem
Todo mundo tem...

120, 150, 200 km por hora.




120, 150, 200 km por hora.


As coisas estão passando mais depressa
O ponteiro marca 120
O tempo diminui
As árvores passam como vultos
A vida passa, o tempo passa
Estou a 130
As imagens se confundem
Estou fugindo de mim mesmo
Fugindo do passado, do meu mundo assombrado
De tristeza, de incerteza
Estou a 140
Fugindo de você
Eu vou voando pela vida sem querer chegar
Nada vai mudar meu rumo nem me fazer voltar
Vivo, fugindo, sem destino algum
Sigo caminhos que me levam a lugar nenhum
O ponteiro marca 150
Tudo passa ainda mais depressa
O amor, a felicidade
O vento afasta uma lágrima
Que começa a rolar no meu rosto
Estou a 160
Vou acender os faróis, já é noite
Agora são as luzes que passam por mim
Sinto um vazio imenso
Estou só na escuridão
A 180
Estou fugindo de você
Eu vou sem saber pra onde nem quando vou parar
Não, não deixo marcas no caminho pra não saber voltar
Às vezes sinto que o mundo se esqueceu de mim
Não, não sei por quanto tempo ainda eu vou viver assim
O ponteiro agora marca 190
Por um momento tive a sensação
De ver você a meu lado
O banco está vazio
Estou só a 200 por hora
Vou parar de pensar em você
Pra prestar atenção na estrada
Vou sem saber pra onde nem quando vou parar
Não, não deixo marcas no caminho pra não saber voltar
Às vezes, às vezes sinto que o mundo se esqueceu de mim
Não, não sei por quanto tempo ainda eu vou viver assim
Eu vou, vou voando pela vida
Sem querer chegar
(Roberto Carlos e Erasmo Carlos)





9/30

Indecisão

Saber que quer partir
Sem saber para onde ir... ou sem saber se vai, se fica, se volta... 
ou sorri.
Um riso amarelo da partida
Querendo ficar sem saber se pode ou não.

Querer o que não se pode ter.
Ter o que não se quer.

Viver por viver.
Amar por lazer.
Sonhar com a razão,
E de lado deixar o coração.
E assim seguem os rumos, da própria indecisão.

(Rodrigo Müller)



Pós-graduação: qual é o melhor curso para você?

Terminei a faculdade. E agora ? Especialização? MBA ? O que eu faço ??

Dúvidas de muitas pessoas, as diferenças entre os vários tipos de cursos de pós-graduação foram esclarecidas pelo Guia do Estudante.

Confira.

--

FONTE: GUIA DO ESTUDANTE

--

A resposta a essa pergunta depende de seu objetivo profissional e de seu perfil pessoalÉ certo que ninguém que pretenda subir na carreira pode dispensar uma pós-graduação. Mas cada profissão exige um tipo de pós. "Primeiro é preciso saber o que se quer da vida. Não adianta sonhar com um cargo de comando numa companhia sem ter um MBA. Porém, se o objetivo é aprofundar conhecimentos e melhorar o desempenho profissional, o melhor é fazer um curso específico. Já mestrados e doutorados são mais indicados para quem deseja seguir a carreira acadêmica", explica José Antônio Rosa, consultor da Manager Assessoria em Recursos Humanos, professor de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e do Instituto Nacional de Pós-Graduação (INPG).

Mestrado - tanto o acadêmico quanto o profissional -, doutorado e especialização são cursos muito diferentes. Para começar, mestrados e doutorados fazem parte das pós stricto sensu. A principal função desses cursos é formar pesquisadores e professores universitários. Eles são avaliados pela Coordenação de Aperfeiçamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Especializações - dentre elas, o badalado MBA -, por outro lado, são pós-graduações lato sensu - voltadas ao mercado profissional, com um objetivo técnico-profissional específico. Em comum, todas as pós-graduações exigem do candidato o diploma de graduação reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

As universidades têm ampla liberdade para montar e administrar seus programas de pós. Por isso, nem sempre existe uma regra fixa para a duração do curso e os requisitos exigidos do candidato. A seguir você encontra uma breve descrição das várias modalidades de pós-graduação, com informações sobre as práticas mais comuns. Escolha a que melhor combina com seu perfil e se ajusta aos seus planos de carreira.

--
Cursos LATO SENSU - MBA

PARA QUEM É
É um curso de especialização na área gerencial e administrativa. O MBA Executivo tem perfil generalista. Mas existem outros cursos, voltados para determinados aspectos, como finanças, recursos humanos, marketing e tecnologia da informação.

DURAÇÃO
Varia entre um e dois anos. Para o certificado ser reconhecido, também precisa ter um mínimo de 360 horas-aula.

PRÉ-REQUISITOS E SELEÇÃO
Em geral, exige-se um mínimo de três anos de experiência no mercado. Cursos mais avançados podem pedir até oito anos no cargo de gerente ou diretor. Há entrevista, análise de currículo e prova.

DIA-A-DIA
As ferramentas e os instrumentos usados em aula são conhecidos por quem trabalha na área de gestão: planilhas de custo, análise de casos reais, planejamento de marketing e softwares de finanças. Prepare-se para falar em público, pois boa parte do curso consiste em apresentar trabalhos e participar de debates. As aulas costumam acontecer no período noturno e aos sábados, o dia inteiro.

TRABALHO DE CONCLUSÃO
O aluno, ao final do curso, apresenta um trabalho de conclusão.

E DEPOIS
Você pode seguir para um mestrado, para aprofundar conhecimentos teóricos, ou partir para nova especialização, em outra área.
--
Cursos LATO SENSU – ESPECIALIZAÇÃO

PARA QUEM É
Para quem precisa se aperfeiçoar ou se atualizar em algum aspecto técnico-profissional de sua rotina de trabalho. Pode ser oferecido por instituição de ensino ou por organização profissional ou corporativa.

DURAÇÃO
De um a dois anos. Para que o certificado seja reconhecido pelo MEC, o curso deve ter carga horária mínima de 360 horas-aula.

PRÉ-REQUISITOS E SELEÇÃO
É preciso apresentar o diploma de graduação reconhecido pelo MEC. O processo seletivo inclui entrevista, apresentação do currículo e, dependendo da instituição, passar numa prova. Algumas instituições adotam testes realizados por associações de classe, que medem o conhecimento que o candidato tem de sua área de conhecimento e sua maturidade profissional.

DIA-A-DIA
As aulas - que enfocam aspectos práticos da profissão - costumam ser dadas em período compatível com o horário comercial - à noite e aos sábados.

TRABALHO DE CONCLUSÃO
Para receber o certificado, o aluno deve apresentar e ter aprovada monografia sobre algum tema abordado durante o curso.

E DEPOIS
É possível candidatar-se a um mestrado acadêmico ou profissional ou simplesmente partir para outra especialização, em outra área de seu interesse.

--
Cursos STRICTU SENSU - MESTRADO

PARA QUEM É
De perfil eminentemente acadêmico, é formação para quem quer seguir carreira em ensino e pesquisa.

DURAÇÃO
Média de dois anos e meio.

PRÉ-REQUISITOS E SELEÇÃO
O processo seletivo varia entre as diversas instituições de ensino. No geral, o candidato submete o currículo à análise, apresenta um projeto de pesquisa e participa de uma entrevista. É comum ter de fazer uma prova de conhecimentos específicos e gerais, além de demonstrar domínio de pelo menos um idioma estrangeiro.

DIA-A-DIA
Você pode não ter aula todos os dias, mas deve participar ativamente das atividades do departamento que oferece o curso - eventos, congressos, conferências e palestras. Também é preciso ler muito e cumprir os prazos rígidos para entrega de trabalhos.

TRABALHO DE CONCLUSÃO
O aluno deve apresentar e defender uma dissertação sobre seu tema de

--
Cursos STRICTO SENSU – MESTRADO PROFISSIONAL

PARA QUEM É
Voltado especialmente para os que desejam dominar metodologias de pesquisa e aprofundar conhecimentos específicos de sua área de atuação, mas com foco no mercado de trabalho. O diploma também dá direito a seguir carreira acadêmica.

DURAÇÃO
Dois anos, em média.

PRÉ-REQUISITOS E SELEÇÃO
Os critérios de admissão variam muito de uma instituição para outra. Em geral, pede-se prova, apresentação do currículo, projeto de pesquisa de acordo com a proposta do curso e entrevista. Domínio de um idioma estrangeiro é indispensável.

DIA-A-DIA
Esse tipo de mestrado acaba reunindo profissionais de uma mesma área de atuação - o que permite grande troca de experiências práticas. Mas o meio é acadêmico e, aí, valores como a qualidade e a exatidão das informações são essenciais, tanto nos diálogos com professores e orientadores, quanto na elaboração e apresentação dos trabalhos. Em algumas universidades, o aluno pode ser convocado para atividades programadas, como estágio.

TRABALHO DE CONCLUSÃO
Apresentação e defesa de dissertação.

--
Cursos STRICTO SENSU – DOUTORADO

PARA QUEM É
Para os que querem seguir a carreira universitária, como pesquisador e professor.

DURAÇÃO
De quatro a cinco anos, em média.

PRÉ-REQUISITOS E SELEÇÃO
O processo seletivo inclui análise do currículo, aprovação do projeto de pesquisa, que deve apresentar tema ou foco inédito e original, e entrevista. Pode haver também uma prova sobre conhecimentos específicos e gerais. Os programas mais conceituados exigem o domínio de pelo menos dois idiomas estrangeiros.

DIA-A-DIA
No geral, exige dedicação exclusiva. Cumpridos os créditos das aulas, o aluno dedica-se integralmente à pesquisa e à elaboração da tese. A participação em eventos relacionados a sua área de atuação é importantíssima. Os prazos são rígidos, o ritmo, apertado, e o trabalho, muitas vezes, solitário.

TRABALHO DE CONCLUSÃO
Defesa da tese perante uma banca examinadora. Durante a defesa, o doutorando é sabatinado por especialistas no tema da pesquisa.

E DEPOIS
É comum partir para um pós-doutorado - um programa de pesquisa pura, muitas vezes realizado, em parte, no exterior.



07/06/2011

7/30

A Felicidade

O que é a felicidade pra você ? 

Pra mim é um estado de espírito, embora eu não saiba ao certo o que é um estado de espírito, ou como identificar qual é meu estado de espírito, ou mesmo se o espírito tem estado... Sei que a felicidade não é algo que se possa contabilizar, pelo menos no meu caso, com palavras, gestos, ações, sorrisos... A felicidade é algo que se sente. Se puder compartilhar com outros tudo bem... Caso contrário o que se pode fazer ?? Deixar de ser feliz ?? De jeito nenhum. A felicidade é minha e ninguém me tira.

Nova Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, se diz 'orgulhosa' com o convite da presidenta.


--

Senadora vai substituir Palocci, que deixou o cargo nesta terça-feira.



Por Robson Bonin

Do G1, em Brasília
A senadora Gleisi Hoffmann em entrevista ao lado do senador Humberto Costa (PE), líder do PT no Senado (Foto: Reprodução / Globo News)

No primeiro pronunciamento após ter sido escolhida pela presidente Dilma Rousseff para chefiar a Casa Civil, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou nesta terça (7) que está "orgulhosa" com o convite que recebeu para substituir Antonio Palocci na pasta.
"Quero agredecer a ela, que acreditou na minha capacidade de trabalho", afirmou.
A nova ministra da Casa Civil fará um pronunciamento no Senado nesta quarta-feira, às 14h30, e depois participará da cerimônia de posse 16h30 no Palácio do Planalto. Com a saída de Gleisi, deverá assumir a vaga no Senado o primeiro suplente Sergio de Souza, do PMDB.
"O compromisso com a presidenta que eu  tenho é um compromisso com o meu país. Sei da minha responsabilidade nesse processo. Aceitei esse convite sabendo do tamanho da responsabilidade", disse a senadora durante entrevista coletiva na sala da liderança do PT no Senado.
Gleisi lamentou a saída de Palocci da Casa Civil. “Quero fazer aqui referência ao ministro Palocci, porque para nós é momento triste. É uma pena perder o ministro Palocci neste governo pelas qualidades que ele tem”, disse a nova ministra.
Segundo a senadora do PT, a presidente Dilma quer o funcionamento da Casa Civil na área de gestão e no acompanhamento de projetos do governo.
“Ela disse que meu perfil é um perfil que se adequa ao que ela pretende agora na Casa Civil, que é o acompanhamento dos projetos do governo. Portanto, é uma ação de gestão. A presidenta quer uma gestão mais técnica na Casa Civil”, afirmou Gleisi durante a entrevista.
Acompanhada por integrantes da bancada do PT no Senado, a nova ministra agradeceu o apoio dos colegas de partido e negou que haja uma “maldição” na Casa Civil, que faça com que boa parte dos ministros que por lá passaram sejam demitidos do cargo. “Não há maldição na Casa Civil. Temos um projeto extraordinário de mudança deste país com o qual estou comprometida”, declarou.


Trajetória

A senadora petista é casada há 15 anos com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, tem dois filhos e fará 46 anos no dia 6 de setembro.

Gleisi Hoffmann foi a primeira mulher eleita para o Senado pelo Paraná. Ela já foi diretora financeira da Hidrelétrica Binacional de Itaipu e trabalhou com Dilma na equipe que fez a transição do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2002 e 2003.
No PT, a senadora faz parte da mesma corrente partidária do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Construindo um Novo Brasil, antigo Campo Majoritário.

6/30

Hoje quase saí cantando: Cai a chuvaaaaaa, e molha o meu amor... Mas como não tinha um amor pra cantar isso, nem estava disposto a sair 'Singing in the Rain', fiquei só pensando como a chuva é uma coisa maravilhosa né... Molha a terra, lava as coisas, alimenta as plantas... Enfim, 1001 atividades são beneficiadas pela chuva... 

Mas daí fico pensando em como somos egoístas e reclamamos quando chove simplesmente porque somos feitos de açucar e não podemos nos molhar, não é mesmo ?? Mas é a vida né... 

Deixa a chuva chover e molhar o que tem que molhar gente. Nem que o que ela tem que molhar sejamos nós mesmos... Vamos cantar e dançar na chuva :) Ou vamos deixar que ela chova e pronto.

Tudo bem que seria ótimo - para quem trabalha e estuda de dia - se chovesse a noite, enquanto dormimos... Ou seria bom também se a chuva chovesse ao contrário, de baixo da terra

Loucura ?? Bom, se é ou não eu não sei. Sei que amo a chuva, mesmo quando me molho e fico horas passando frio depois, rsrs. Chuva é Luz.

06/06/2011

Projeto 'Escola sem Homofobia' desenvolve ações contra o preconceito.

Fonte: GLOBO EDUCAÇÃO

--


Kit é primeira tentativa incisiva de combate à homofobia nas escolas


Desde 2005, o Ministério da Educação (MEC) desenvolve o Projeto Escola sem Homofobia para combater o preconceito sexual nas escolas do país, por meio de ações como formação de professores, seminários, palestras, pesquisas e estratégias de comunicação. É justamente parte destas ações que vem causando polêmica nos últimos tempos: o chamado kit anti-homofobia, material educativo com vídeos, boletins, cadernos e cartazes que seria distribuído em escolas de todo país.

“O material foi feito por especialistas, pessoas que entendem da área. Foram envolvidas 537 pessoas, que participaram de seminários, das capacitações, da elaboração do material, dos grupos focais. Foi um trabalho de três anos”, diz o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis.

O kit recebeu pareceres favoráveis tanto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) quanto do Conselho Federal de Psicologia. Ambos classificaram como “adequados às faixas etárias e de desenvolvimento afetivo-cognitivo a que se destinam”.

De acordo com Reis, que realiza pesquisa de doutorado sobre a homofobia nas escolas, a principal consequência do preconceito é a evasão escolar, principalmente nos casos de transexuais e travestis, que costumam largar as salas de aula por conta do bullying. “A maior parte das pessoas trans não consegue concluir nem o ensino fundamental. Não resta nada a elas a não ser a prostituição.”

O livro “Revelando tramas, descobrindo segredos: violência e convivência nas escolas”, fruto de pesquisa coordenada por Miriam Abramovay nas escolas do Distrito Federal em 2009 para a Rede de Informação Tecnológica Latino-Americana (Ritla), em parceria com a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF-GDF), traz números que ilustram o problema no ambiente escolar: quase 28% dos alunos afirmaram que não gostariam de ter colegas homossexuais em classe. Esse número sobe para mais de 44%, quando se isola apenas a opinião dos alunos do gênero masculino.



Segundo Reis, o material desenvolvido pelo Escola sem Homofobia não deve ser visto apenas como um kit isoladamente. Ele é parte de uma série de estratégias para promover a garantia dos direitos humanos e o respeito às orientações sexuais e às identidades de gênero no âmbito escolar.

“A sociedade é feita para os heterossexuais, é uma sociedade heteronormativa. E é isso que o projeto e o material questionavam. Há uma orientação sexual dominante, a heterossexual; qualquer outra parece propaganda. E isso é um grande engano”, finaliza.


--

E aqui os meus parabéns à equipe do Globo Educação e à Rede Glodo de Televisão por apresentar de forma respeitosa e profissional o tema e a sua importância frente a sociedade contemporânea. Vale a pena ver a edição de 04/06/2011, que tratou o tema Diversidade Sexual nas Escolas. Veja Aqui.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...