27/06/2013

Liberdade, Liberdade

"O homem nasce livre e por toda parte encontra-se acorrentado" 
(Rousseau)



Mesmo não querendo, somos acorrentados por tantas amarras quanto se possa imaginar. É uma ordem que recebemos quando criança, é um costume que adquirimos de nossos pais, é a televisão me falando que fumar é errado e faz mal a saúde (minha e dos outros), é o comercial te dizendo que deve comprar Assolan porque é amigo da natureza, é a bíblia dizendo que não se pode desejar a mulher do próximo (será que quem escreveu isso foi corno? #todebrinks #SQN), é o jornal dizendo que não posso manifestar porque pode haver vandalismo no meio, ou polícia, ou furtos e assaltos entre a multidão... E por aí vai...

E eu que jurava que era livre por ter escolhido morar na capital, por ter escolhido meus cursos de graduação  e pós-graduação. Eu que acreditava que deixava o cabelo curto por me sentir melhor (e me sinto mesmo, mas lá no fundo do meu 'coração' [vulgo consciência] algo me diz que devo manter o cabelo curto pra ficar mais apresentável à sociedade... Eu quero que a sociedade se f#%*#. rsrs (#todebrinksagain).

E aí eu me pergunto: Liberdade, liberdade, por onde andas? 

Aí eu logo penso: se a liberdade existe ela anda por onde ninguém a alcance, porque senão ela não seria mais livre... Ou não?

25/06/2013

"É necessário...

... que ao menos uma vez na vida você duvide, tanto quanto possível, de todas as coisas".

René Descartes


24/06/2013

(des)Construir...

"Observar, analisar e teorizar é um modo de ajudar a construir um mundo diferente e melhor" (Manuel Castells, 1999, p. 42).



Fonte da Imagem: Poesias, Prosas e Algo Mais.
De fato, quando conseguimos parar e observar algo, e temos o senso crítico para analisar esse fato, somos capazes de produzir nossas próprias impressões sobre o que estamos observando. 

É uma relação íntima, de afeto, interesse e curiosidade. Um desejo de saber, de conhecer, de se envolver. E desses desejos vem as nossas impressões sobre as coisas, sobre a vida, sobre os fatos, sobre os homens... 

Por isso não se pode deixar de pensar, de analisar e se perguntar o 'por quê' das coisas. Se tudo tem um porquê eu quero saber qual é. E você também deveria. Penso que o primeiro passo para não se alienar é justamente teorizar. E para isso é preciso observar e analisar. Construir um pensamento, mesmo que isso te leve a desconstruir outro. 

A vida é assim, uma eterna construção e desconstrução de nós mesmos.

21/06/2013

A pequena grande diferença

Pra você que ainda não está acostumado com meus textos, as frases marcadas em azul direcionam para páginas com as notícias que estou citando... #ficadica

Caminhamos, atualmente, rumo a mudanças de fundamental importância para a democracia do nosso país. O povo vem conseguindo mostrar que não é agente passivo nesse processo e que também tem suas demandas – e principalmente, que as quer atendidas.

A corrupção que assola o sistema político brasileiro assusta. Os números orgulhosamente exibidos de investimentos em obras como a Copa do Mundo e as Olimpíadas não causam o furor positivo e o sentimento de orgulho nos brasileiros. Muito pelo contrário. A sensação, ao ouvir que serão investidos 1,82 bilhão de reais para Copa e Olimpíadas, é de frustração e revolta.

Fonte da Imagem: G1 (Manifestação em Cascavel, PR.
Sinal desse descontentamento são as várias manifestações que já há dias ocorrem por (quase) todos estados brasileiros.

No entanto, nem todos os brasileiros e manifestantes concordam com os rumos que os eventos espalhados pelo país têm tomado. Eu sou um dos muitos brasileiros que não concordam com isso.

Em um primeiro momento, a pauta lançada em São Paulo (redução nas tarifas de transporte coletivo e a conquista do Passe Livre para alguns cidadãos) foi replicada em outras capitais e cidades. Com o tamanho dos movimentos, a atenção do país se voltou para as manifestações [inclusive a minha atenção, que mantive ali, coladinha nos noticiários e no facebook], que começaram a atrair mais adeptos (multiplicando as pautas apresentadas) e, finalmente, a atenção dos políticos – que se viram ‘obrigados’ a dar uma resposta política que, no mínimo, agradasse a maioria da população e atendesse os questionamentos mais enfáticos.

19/06/2013

#FelicianoNãoMeRepresenta

De tanto ver a politicagem suja e hipócrita que acontece no Brasil é que dá vontade de entrar pra política [a primeira dificuldade, no entanto, seria encontrar um partido decente e que realmente me representasse]... 

Hoje, vendo as declarações nojentas e prepotentes do deputado Marco Feliciano [que você pode conferir aqui, aqui e aqui] me sinto ainda mais descontente com a situação política do país.

Posso generalizar e dizer que todos os políticos são filhos da puta? Claro que não... Com certeza alguns que estão espalhados pela câmara, pelo senado, pelas nossas cidades, prestam e representam seus eleitores. 

Fonte da Imagem: Literatura Clandestina.
Mas para começar, meu descontentamento com Feliciano não é infundado [pelo menos pra mim não é, então eu posso falar]: onde já se viu colocar um senhor com aquele histórico de baixarias, preconceitos, homofobia, desvio de dinheiro público e tantas outras coisas, como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara ?? Onde ??? Onde já se viu deixar que o senhor em questão fale tudo o que quer não ouvindo opiniões contrárias?? Onde já se viu aceitar uma chantagem barata [CHANTAGEM BARATA SIM !!!] com relação ao período eleitoral e a bancada evangélica???

Em tom de brincadeira poderia dizer que isso 'é só por jesus', mas espero eu que Jesus não tenha nada a ver com essa safadeza toda [por favor senhor Jesus, não diga que o senhor endossa as merdas que saem da boca do tal do feliciano!?...].

Além disso, vergonhoso é pra presidente Dilma - que já está com a popularidade batendo no calcanhar - ouvir tudo isso, saber de tudo isso, e ficar quietinha porque sem os votos da comunidade evangélica não consegue nem vender farinha em frente ao Palácio do Planalto, quanto mais assumir o cargo que hoje ocupa [e creio eu que lhe pesa mais que toneladas nos ombros], então tem que engolir tudo isso, fazer cara de paisagem e de hostess da copa do mundo e não dizer um 'ai' sobre a CDHC e nem sobre a palhaçada toda que ocorre por lá... 

Pesquisadores da UFPR analisam as passeatas que têm levado multidões às ruas em todo País

Fonte: UFPR

--
Esta semana, cerca de dez mil pessoas foram às ruas de Curitiba pedir por uma país melhor. A manifestação, pacífica em sua maioria, reuniu jovens, adultos de todas as idades e crianças tendo o Prédio Histórico da UFPR como palco de mais um momento histórico do Brasil. Professores da Universidade fazem uma análise dos protestos que tomaram as ruas.
A falta de uma pauta de reivindicações fixa e específica, para as manifestações que vêm ocorrendo em diversas cidades do Brasil, nesses últimos dias, não garantem às passeatas um caráter de pouca credibilidade, segundo Emerson Cervi, cientista político da UFPR. O professor explica, começaram em São Paulo e Rio de Janeiro e se espalharam por todo País, são consequências de um conjunto de manifestações de massa que não têm uma organização centralizada. “É a prova de que a população tem a capacidade de se mobilizar sem a necessidade de alguma instituição centralizando a organização do manifesto. As passeatas surgem de uma indignação generalizada”, comenta.

Violência gera Violência

Como vocês estão vendo [noticiários de todas as emissoras], a manifestação pacífica permanece em muitos pontos, mas o vandalismo e a rebelião de poucos indivíduos faz com que estejamos vendo esse tempo todo notícias e mais notícias de grupos saqueando, invadindo, depredando, e sendo 'atacados' pela polícia.

Nesse momento não estão sendo 'atacados' coisa nenhuma. Esses manifestantes é que atacam. Depois não podem reclamar da repressão, da reação e da ação ativa da polícia em defesa do povo e do patrimônio público.

#ViolênciaNãoMeRepresenta

18/06/2013

The Dog days are Over


#SQN

Comissão de Direitos Humanos aprova autorização para 'cura gay'

Fonte: G1.



Projeto de lei ainda deve passar por duas comissões na Câmara e Senado.
Na sessão, apenas dois militantes se manifestaram contra a aprovação.


A Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) o projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a reverter a homossexualidade. A sessão que aprovou a proposta foi presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que conseguiu colocá-la em votação após várias semanas de adiamento por causa de protestos e manobras parlamentares contra o projeto.
De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), a proposta pede a extinção de dois artigos de uma resolução de 1999 do conselho. Um deles impede a atuação dos profissionais da psicologia para tratar homossexuais. O outro proíbe qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente e determina que psicólogos não se pronunciem publicamente de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais.
Na prática, se esses artigos forem retirados da resolução, os profissionais da psicologia estariam liberados para atuar em busca da suposta cura gay.

Enquanto isso...

... viajar para Cascavel (PR) ficou mais caro. Não bastasse o valor da passagem de ônibus (avião nem cogito, pois quem mora aqui ou usa [tenta usar, no caso] o transporte aéreo sabe que não é assim tão simples como comprar um bilhete aéreo e pousar tranquilamente em nosso belo aeroporto) ter aumentado nos últimos dias, ao andar pela cidade é preciso cautela e muita atenção, pois brotam do asfalto os benditos 'pardais' fiscalizando tudo o que ocorre pelas vias sagradas da cidade. Andar aqui não tá fácil! É multa por milésimos de segundo !!!

Não acho errada a ação de fiscalização, muito pelo contrário - sem ela o caos poderia tomar conta -, mas não creio ser necessário implantar tantos radares em todas as vias. Mais que isso, a conscientização da população [tarefa mais que difícil, porém não impossível] é que deveria ser ação constante e mais ativa...

Mas, enquanto isso não acontece, vamos nós ajudando a aumentar a arrecadação (que vai pra onde já que nem as ruas da cidade estão em condições de justificar a quantidade de multas???) da cidade !

Amém?

Fonte da Imagem: Efêmero Eterno - Fotojornalismo.

17/06/2013

Não é só pelos R$ 0,20

Isso eu e muitos outros brasileiros já percebemos! #fato

No entanto, a partir do momento que partem para a violência e depredação do patrimônio público, esses manifestantes (não os milhares de manifestantes pacíficos que participaram dos movimentos no Rio, em São Paulo, Curitiba, Brasília e todas as outras cidades e capitais, mas sim os que insistem em atos de violência e vandalismo) perdem totalmente o mérito que estava sendo conquistado. Perdem totalmente o direito de reivindicar qualquer coisa, qualquer ação. 

Se a violência resolvesse algo, antes de eu nascer (1987) o Brasil tinha tomado outros rumos... Se a violência resolvesse algo, não haveria tanta desgraça ocorrendo no mundo todo... 

A visibilidade conseguida pelos manifestos ao redor do país não seria suficiente para instigar novos atos pacíficos e democráticos?

Mas, infelizmente, o interesse de poucos se sobressaiu mais uma vez causando essa onda de notícias desagradáveis sobre nosso país.

Será que isso não faz desses indivíduos piores do que os governos com os quais eles insistem em duelar? Ou será que há necessidade de tudo isso?

Não sei. Posso estar errado ao pensar que esses manifestos não precisariam chegar onde estão chegando, mas prefiro estar errado do que me tornar o monstro que vejo nos outros.

Fonte da Imagem: Hypeness
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...