26/12/2014

Tempo Bom, Tempo Ruim. (Jean Willis)

Dica de leitura: Wyllys, Jean. Tempo Bom, Tempo Ruim: identidades, políticas e afetos. Editora Paralela, 2014.

Tempo bom, tempo ruim fala sobre assuntos que vão desde as manifestações populares de junho de 2013 até a homofobia e o racismo no futebol, passando pela telenovela, a legalização da maconha e o impacto das tecnologias da comunicação. Com lucidez, erudição e honestidade implacável, Jean Wyllys revê sua trajetória e as lutas que trava diariamente, revelando ao leitor os conflitos sociais e raciais do Brasil, um país de avanços e retrocessos, de tempo bom e tempo ruim. (Fonte: Companhia das Letras)


(...) E mesmo para aquele ou aquela que se imagina ou se comporta como uma ilha, alheios ao continente de pessoas vivendo em sociedade, a vida é um suceder de batalhas que se desdobram dentro de si.

(Jean Wyllys, 2014, p. 13)

--
Acabei de ler 'Tempo Bom, Tempo Ruim' e um gostinho de quero mais permanece. Ultimamente são poucas as leituras que me deixam assim, com vontade de ler mais e mais sobre o tema, independentemente de qual seja, de saber mais sobre as coisas que um certo alguém está dizendo, e, neste caso, de conhecer um pouco mais da realidade do nosso Brasil.

Um texto de leitura fluída, com uma linguagem acessível e sem subterfúgios linguísticos [ao meu ver, no meu simples papel de consumidor de literatura] que traz dados e informações sobre um Brasil que nem todos querem ver: que oprime, que julga, que discrimina, que mata, mas que ainda tem esperança, repleto de 'tempos bons e tempos ruins'.

Nos contando um pouco de sua vida e sua infância, Jean Wyllys faz entender seus posicionamentos atuais. Do contato com a pobreza e a periferia ao mundo religioso, ambientes repletos de significados e que ajudaram a formá-lo, segundo ele, como cidadão e ser humano.

Passando por temas centrais nas discussões políticas atuais, como a apropriação da mídia sobre as relações de gênero, o casamento homoafetivo, a criminalização da homofobia, a descriminalização ou legalização da maconha, as influências das tecnologias de informação e comunicação na vida cotidiana, dentre outros tópicos, Wyllys apresenta um panorama de um país que vive em constante luta por direitos e ideais. Como um defensor dos direitos humanos, o autor apresenta seu posicionamento com relação a esses e a outros temas, nos fazendo refletir em alguns posicionamentos que nós mesmos não conseguimos entender de onde vem e por quê.

Mesmo ainda não tendo condições de formar posicionamentos sobre determinados temas abordados no livro, como a questão da maioridade penal (que eu considero como uma alternativa para muitas situações que ocorrem diariamente no país, e que o autor é contrário), consegui entender os posicionamentos de Wyllys e as suas justificativas, bastante fundamentadas e claras.

09/07/2014

#OrgulhoDeSerBrasileiro

Meu país, pra mim, não se define pelo futebol. Não se define pelo carnaval... Não se define pelo samba.

Esses elementos fazem parte de uma cultura muito maior, composta por gente de toda cor, de toda raça, toda fé (fazendo a Ivete, porque afinal, o país também é feito por ela, por mim, por você...), todo lugar... Meu país se define pelas maravilhas que possui, pela nação que luta (a que luta, não a massa inconformada que julga a bola como o elemento central da nossa bandeira), pelos trabalhadores de todo dia... 

Meu país se define pela sua história, pelos mais de 500 anos de lutas e de conquistas, pela tradição que importou do mundo e mesclou com a tradição dos moradores legítimos dessas terras, os índios, dos quais também me orgulho de ser descendente. 

Meu país, pra mim, se define pela luta da ciência, das conquistas dos que estudam, pesquisam e tentar mudar os rumos de um conformismo técnico-científico... Se define pela luta dos educadores, dos estudantes e dos que acreditam que a educação pode mudar os rumos da sociedade... 

Se define pela luta diária de milhões de pessoas que enfrentam horas no trânsito, seja no ônibus ou nos carros ou em qualquer outro meio de locomoção, para poder trabalhar e pagar as contas, os impostos e tentar ser feliz...

Meu país é mais que um resultado de 7 x 1. Meu país é mais que uma Copa do Mundo! Meu país é mais que um evento esportivo qualquer... Meu país é o Brasil, que levou anos para chegar onde chegou - e continua avançando - e não pode se deixar ficar cabisbaixo em função de uma derrota. 

Meu país é forte, é verde, é grande... Por isso eu tenho, nas vitórias e nas derrotas, o orgulho de ser brasileiro.



--
Mesmo não curtindo a ideia de Copa do Mundo aqui desde o início, mesmo não torcendo fanaticamente em nenhum dos jogos, mesmo não colocando bandeira do Brasil no carro e nas janelas, eu torci pelo nosso time. Torci pela nossa vitória, que não veio, mas que não me deixou mais pobre, mais feio, mais nada. É triste, todos estão tristes, mas vai passar, como tudo na vida. E outro dia a gente ganha... assim vem sendo por mais de 500 anos em tantos assuntos, por que não seria com o futebol?

29/04/2014

Fotografia - Religiosidades...




Um pedacinho daqui de casa...
Fotografia - Rodrigo Müller

Cansado de ver o que se passa na televisão atualmente? Veja a solução!

Nos últimos dias várias pessoas vêm reclamando pelas redes sociais e algumas até mesmo reclamando pessoalmente que não sabem mais o que fazer porque a televisão está mostrando 'coisas' que não deveria.

Vejo gente falando que não quer ver beijo gay na tal novela das nove da Globo (aliás, novelinha mais ridícula essa heim Maneco!!!); que está casada de ver tanta falta de valores na programação da televisão; que seus filhos não merecem assistir a programas como as novelas, o BBB, ou tantas outras coisinhas que a TV proporciona aos seus telespectadores.

E com base nessas reclamações, nem precisei refletir muito - até porque eu é que não perderia meu sono preocupando-me com os descontentamentos da população com relação à programação da TV - para dizer o que se pode fazer nesse caso:

PARE DE ASSISTIR TV!

Creio que a Rede Globo não vai até sua casa com uma arma na mão fazendo você ver novela, BBB, Fantástico e/ou qualquer outra coisa. ENTÃO PARA DE RECLAMAR E VÁ PROCURAR ALGO MAIS INSTRUTIVO PARA FAZER PRA SUA VIDA E PELA VIDA DOS SEUS FILHOS =)

E aí?? Será que isso ajuda na questão do beijo gay na TV? Ou na falta de moral?? Espero que sim...

Um beijo !

:)
:*

Fonte da Imagem: Yahoo Celebridades.



24/04/2014

Viagem ao centro dos pensamentos...

Costumamos repetir a frase 'penso, logo existo' (Descartes) mas nem sei se pensamos mesmo no que estamos dizendo. Não que não estejamos, de fato, pensando... mas não estamos refletindo.

Pensar é fácil. Não precisamos fazer nada de mais... só ficar ali, parados, ou andando, ou comendo, ou conversando, ou tomando banho, ou assistindo televisão, ou dormindo... É, quem disse que os sonhos não são pensamentos?

Então, pensar nos faz existir. Ou será que existir nos faz pensar???  o.O

Bom, eu sei que quando começo não paro mais (ou desde que comecei não parei mais). 

E essa semana ouvi algo que achei interessante: pensamentos parasitas ! Nunca havia ouvido essa expressão, ou pelo menos nunca me atentei para ela. Mas ouvi e parei para pensar: o que é o pensamento? como eu consigo pensar em tanta coisa ao mesmo tempo? como eu consigo pensar tanta besteira (bobeira, bobagem, idiotices, e por aí afora)? Bem, e essas besteiras são os pensamentos parasitas. E eles aparecem nas horas mais impróprias, e não querem sair.

Aí a gente viaja para os lugares mais estranhos possíveis... mata algumas pessoas... mete a mão na cara de outras... passa uma rasteira nazinimigas... faz sexo com a Madonna... Enfim, a gente se vai !

E se vai para onde? Não sei... nem nos meus pensamentos eu costumo saber onde estou, imagina saber onde o resto do mundo anda? 

Só sei que criamos janelas e mais janelas e pulamos por entre elas com uma facilidade que deixaria muitos ginastas com inveja. Então quando eu penso em pensar em viajar entre meus próprios pensamentos já logo desisto e tento pensar em outra coisa. 

Vai que eu me perco por lá???

11/04/2014

"Ser vadia é ser livre"

Fonte: Época.

Em meio a tanto bla bla blá, vale a pena ler entrevista da Valesca na Época...

--
Depois de Simone de Beauvoir, Betty Friedan e Naomi Wolf, Valesca Popozuda. Desde que fez de “Beijinho no ombro” o grande sucesso do início de 2014, a funkeira carioca do Irajá começou a falar de feminismo em suas entrevistas e abraçou a campanha contra a violência sexual contra as mulheres. Com toda a razão, só faz o que manda seu coração. “Deu vontade de fazer, faça! Não se arrependa!", diz Valesca, de 34 anos. 



08/03/2014

Receita de Cup Cake

Fonte da Imagem: Arquivo pessoal (minhas criações).
Agora que eu aprendi como fazer não paro mais... Já é a quinta vez que faço essas delicinhas e não me cansei ainda. Agora quero explorar novas possibilidades em termos de coberturas e acabamentos, o que eu acredito que faz toda a diferença.

Bom, e a receita da massa dessas delicinhas? Simples e fácil. Eu encontrei uma receita aqui no site Receita de Cup Cake. Testei e fiz minhas alterações, que ficaram bem legais também... A seguir o que você vai precisar (para uma quantia de 20 a 25 cup cakes):

Ingredientes:

3 ovos
1 xícara de açúcar
3 colheres de sopa (cheias) de margarina
1/2 xícara de leite
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher de fermento em pó
1 colher de chá de essência de baunilha (ou côco)

Modo de preparo



Separar as claras e bater em neve. Reservar. Depois, misturar as gemas com o açúcar com o auxílio de um fuê/batedor. Acrescentar a margarina e bater (se preferir use a batedeira, o que torna mais fácil o processo). Acrescentar o leite e aos poucos colocar a farinha de trigo. Acrescente a essência. Depois de misturada a massa, junte as claras em neve e em seguida o fermento em pó. Pronto! 



#dicabônus Caso queira, divida a massa em duas porções iguais e em uma delas acrescente chocolate em pó. Assim você terá duas cores e sabores de cup cakes.

--
Depois de pronta a massa, é só distribuir dentro das forminhas (sugere-se colocar a massa até a metade da forminha de papel) e levar ao forno pré-aquecida em temperatura alta por cerca de 20 a 25 minutos (isso vai depender do seu forno). Para ver se os bolinhos estão assados, basta espetar até o fundo com um palito de madeira e se o palito sair sem massa está assado.

Após assados, deixe os cup cakes esfriarem para decorar de acordo com sua preferência (e habilidades em fazer coberturas).

No meu caso, dessa vez, fiz cobertura de ganache (comprei pronto) e glacê real (comprei o pó e só preparei em casa - muito mais fácil e prático), mas existem inúmeras possibilidades para fazer e brincar. é só usar a criatividade e uma pequena busca por receitas de cobertura de cup cakes na internet.

E como fazer o Red Velvet?

28/02/2014

#chatiado com a palhaçada no STJ

Olha, é tanta gente falando que nem há necessidade de dizer mais nada sobre a absolvição dos mensaleiros. Mas faço questão de deixar registrada minha insatisfação com tamanha safadeza dos articuladores do governo em prol dessa raça de filhos da mãe. Bandido é bandido, em todo lugar. Mas se for político tem desculpa, pode roubar, brincar com a cara de todo mundo, fazer o que bem entender e sair absolvido. Que merda de país é esse?

E faço minhas as palavras do decano da Corte, Celso de Mello, quando diz que os mensaleiros "nada mais são que meros e ordinários criminosos comuns".

Fonte da Imagem: O Nobel Felipense.

E enquanto isso na página principal do site da Globo.com, notícias sobre BBB, novelas, folia de carnaval... e uma nota tímida ainda falando de uma segunda chance para os acusados para solicitarem revisão de outras penas... 

É mole???


25/02/2014

Estudar faz bem para o coração, de acordo com pesquisa da UFRJ

Reportagem que eu li no ano passado e que resolvi compartilhar...

Fonte: Globo News

Cardiologista explica que com um ano a mais de estudo, se melhora a renda, o acesso à informação, a habitação, o saneamento e o local de moradia.

Estudar faz bem para o coração. Uma pesquisa de médicos da UFRJ associa a aumento da escolaridade à redução das mortes por problemas cardiovasculares em pelo menos em três estados. No Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, o levantamento mostra que, a partir de 2000, com a melhoria da qualidade de vida da população, o  número de mortes caiu para algo em torno de 300 a 400 para cada cem mil habitantes. A notícia coloca o Brasil na frente de países do leste europeu. Mas ainda está longe das 110 mortes por cem mil habitantes no Japão, por exemplo.

“A escolaridade talvez seja um indicador que englobe tudo. Com um ano a mais de estudo, se melhora a renda, o acesso à informação, a habitação, o saneamento, o local de moradia. Quem tem melhor qualidade de vida e melhor renda tem menos doença infectocontagiosa na infância, adolescência e no adulto jovem”, explica o cardiologista e professor Gabriel Porto Soares.


Os dados são ainda mais animadores porque a redução das mortes aconteceu mesmo com o crescimento dos fatores de risco dos últimos anos.

A importância da prevenção da doença cardiovascular está no fato de que um terço das mortes ocorre dos 35 aos 64 anos, a fase mais produtiva da vida.

Nutróloga comenta o uso indisciplinado de suplementos

Diversos estudos informam que qualquer intervenção médica tem até 30% de efeito placebo, o que não é diferente com os suplementos. A nutróloga Flavia Teixeira explica que, ao tomar suplementos, a pessoa acredita que está melhor e falta menos ao treino. Mas a questão que fica é: ele precisa de tudo aquilo?
“O corpo não estoca proteína. Se passar da quantidade necessária por dia, não é trazido benefício algum. Ou a pessoa elimina e não absorve, ou transforma a fonte protéica em carboidrato para gerar energia, o que pode até engordar”, diz Flavia.

Porque estudar faz bem...

Iniciando mais uma fase da minha vida acadêmica, só consigo perceber como estudar faz bem... Já estava sentindo falta de estar em uma sala de aula na posição de aluno. E isso é bom... (você que é aluno não imagina a maravilha que é estar ali para estudar, aprender...)

Vejo que a cada dia nos é dada a chance de aprender sobre um mundo de coisas que a gente nem sonha que é possível. Ou sonha, mas não tem certeza se pode ser, e quando você vê aquilo é possível sim.

E é assim que me sinto nesse momento, acreditando que muitas coisas são possíveis, até as que eu pensava que não eram.

:)

24/02/2014

Sobre a Netflix e os Canais da TV a Cabo

Já faz algum tempo (comecei a usar na metade de 2012) que sou usuário da Netflix...


Conheci o portal por meio de alguns amigos que já utilizavam, fiz o meu acesso e tive um mês de uso grátis (acesse as vantagens da Netflix gratuitamente por 1 mês clicando aqui). Gostei. Resolvi assinar pagando 16,90 (não houve aumento na mensalidade, ainda...) por mês e comecei a assistir meus programas e filmes pelo computador.

Fonte da Imagem: Print da minha página :)

E o que dizer da qualidade do site? Pois bem, a qualidade é boa... A maioria dos programas disponíveis tem a versão na língua original (legendada ou não) e uma versão dublada; Qualidade de Áudio e Vídeo é boa; Player online facilitando a nossa vida; além da vantagem de assistir o que quiser no horário que quiser [e puder]... O site ainda tenta fazer sugestões de filmes e programas disponíveis com base em nossas preferências e programas já assistidos. Isso é bom. Chega a ser interessante porque as vezes surgem cada sugestões que a gente ri e acaba assistindo (por vezes até gostando)... 

No entanto, nem tudo são rosas...

19/02/2014

PSS 2014

Pra quem ainda não viu, a Secretaria de Educação do Estado do PR divulgou mais um edital para o processo seletivo simplificado (PSS 2014) para contratação de professores, pedagogos, tradutores de língua brasileira de sinais, dentre outros cargos em outros editais.

Funcionará como cadastro de reserva para convocação de profissionais onde ainda haja necessidade e não tenham candidatos aprovados pelo último concurso (PSS 2013).

O link para os três editais publicados é esse: http://www.educacao.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=127

Já para o edital específico de professores, pedagogos e tradutores de língua brasileira de sinais, está neste link: http://www.educacao.pr.gov.br/arquivos/File/editais/edital152014gsseed.pdf


Livros da Coleção Educadores para Download

Acessando a página do Canal do Ensino, vi a notícia de que o MEC está disponibilizando 62 títulos de obras da Coleção Educadores para download no Portal Domínio Público.

Segundo informações do Canal do Ensino, fazem parte dessa coleção "31 autores brasileiros, 30 pensadores estrangeiros e um livro com os manifestos Pioneiros da Educação Nova, escrito em 1932, e dos Educadores, de 1959" (confira aqui a notícia original).

Já o link para a listagem de obras está disponível aqui.

Acessa lá e confira os títulos de grandes autores... Eu já garanti o meu Friedrich Hegel!

Lembrando que o Portal Domínio Público funciona como uma biblioteca digital disponibilizando inúmeras obras para quem estiver interessado, contribuindo assim para a difusão do conhecimento. Vale a pena conferir.

18/02/2014

Sobre a legalização da venda de drogas...

Antes de tudo, devo dizer que não acho drogas algo legal (no sentido de bom, interessante e etc); Não sou a favor do uso de drogas; não acho que isso deva ser legalizado de fato; e principalmente NÃO USO NADA DISSO ! Quero apenas promover a reflexão sobre o que acontece a nossa volta.

--

As vezes fico pensando que não há sentido pra não legalizar essa bosta ! E por que? Bom, primeiro: porque sabemos que isso [a venda de drogas] acontece em toda parte e em todos os horários; segundo: porque se fosse legalizada os 'vendedores' deveriam pagar imposto sobre os 'produtos' (o que aumentaria a arrecadação da União - pra onde isso iria é um outra longa e desconhecida história); e terceiro: porque o que é proibido é mais gostoso (logo, não teria mais tanta graça)...

Mas falo isso porque essa semana um fato muito curioso - para mim - me chamou atenção: Estava eu passando pela calçada ao lado da Praça Eufrásio Correia, aqui em Curitiba, quando vejo várias pessoas fumando maconha sorridentes e solidários uns com os outros ao passar aquele bagulho de mão em mão... Mas isso tudo bem. É cena corriqueira naquela praça. Andei mais alguns passos e aí vejo um rapaz entregando um embrulho bem pequenininho nas mãos de outro rapaz após receber uma quantia em dinheiro... Bem assim: dezenas de pessoas caminhando, outras descansando na praça, outras comprando e/ou vendendo 'coisas', como se fosse um pacote de pipoca (só que beeeeem menor e com um potencial nocivo à saúde infinitamente maior) que a gente compra... Continuo observando, meio de canto de olho, e o comprador conferiu a mercadoria e saiu, provavelmente consumir o produto recém adquirido.

Então fico pensando, que bosta é essa? Se o povo compra e vende isso livremente não seria melhor legalizar? 

Aí penso um pouco mais e acredito que não... No entanto, o que fazer com isso é que eu já não sei. Assunto pra muito mais reflexão.

17/02/2014

pensando... pensando... pensando...

E é tanta coisa que se passa na minha cabeça que nem sei por onde começar a colocar pra fora. 

Já escrevi mais de mil livros, mais de mil cartas, mais de mil poesias... Mas deixei tudo dentro da minha cabeça.

Espero conseguir tirar um pouquinho do que tem lá pra abrir espaço pra mais coisas.

04/02/2014

Receita - Antepasto de Berinjela

Ana Maria Braga que se cuide porque aqui vai mais uma das minhas receitas ma-ra-vi-lho-sas !!!

Antepasto de Berinjela à Italiana (uma adaptação)... [tempo de preparo: 2h20min]

Pois bem, um delicioso antepasto para ser servido como aperitivo com torradas, pães e mesmo para comer com algum outro prato saboroso que você queira inventar.

Você vai precisar de:

3 berinjelas grandes (não muito moles)
1 pimentão verde
1 pimentão vermelho
3 cebolas médias
3 dentes de alho
1 xícara de sal
1 xícara de vinagre branco
1 1/2 de azeite de oliva extra virgem
2 cubos de caldo de legumes
2 folhas de louro
Pimenta do Reino a gosto
Orégano a gosto

Obs: se quiser também pode colocar pimentão amarelo e azeitonas picadas. E para aumentar a receita é só dobrar os ingredientes.

Como fazer:

Começando pelas berinjelas, lave-as e descasque. Após descascadas, cortar em fatias finas e depois em tirinhas (à Juliana). Reserve em uma vasilha as tirinhas salpicando com o sal. Depois de todas cortadas e salgadas, misture bem com as mãos e deixe repousar por 30 minutos.

Enquanto a berinjela fatiada em tirinhas finas repousa, corte os outros ingredientes em tirinhas e reserve.

Pegue a vasilha com as berinjelas e escorra bem. Você vai ver que a berinjela soltará um caldo escuro... Elimine esse caldo, esprema com as mãos a berinjela e lave bem (pelo menos três enxágues). Esprema novamente com as mãos para remover o excesso de água.

Pegue uma assadeira e coloque as cebolas fatiadas, sobre as cebolas o pimentão e em seguida as berinjelas. Por fim acrescente o alho picado, os dois cubos de caldo de galinha esmagados, o orégano e as folhas de louro rasgadas/quebradas. Acrescente a pimenta do reino a gosto. Misture de leve para os temperos entrarem no meio dos legumes cortados. 

Agora, pegue o vinagre e regue todos os ingredientes na assadeira. Por fim, acrescente uma xícara de azeite de oliva extra virgem sobre os legumes e mexa de leve com o auxílio de uma colher para penetrar.

Leve ao forno pré-aquecido a 200 graus e deixe assar por 1h30min. A cada 15 minutos é bom dar uma misturada nos ingredientes. Depois disso, deixe esfriar, coloque em um recipiente de vidro e acrescente o restante do azeite de oliva. Leve a geladeira e sirva no dia seguinte. 

O sabor fica mais acentuado no dia seguinte, mas nada impede que você o sirva no mesmo dia.


Considerações:

O sabor fica incrível, mas aviso aos que nunca fizeram que os legumes reduzem no processo de cozimento no forno. Então se você quer em grande quantidade aumente a receita. E o sal ainda pode ser dosado no final do processo, caso você sinta a necessidade.
















29/01/2014

Modernidade(s)

Lendo e relendo textos e mais textos sobre o assunto, ainda hoje não consigo me definir moderno, pós-moderno, ou o que quer que seja. Vejo apenas que a contemporaneidade nos deixa tão semelhantes a tudo e a todos, e isso a cada novo dia, que nem dá pra saber pra que lado estamos olhando. É tendência de roupa, de ferramentas de tecnologia (celulares, tablets, computadores, televisores, eletrodomésticos e muito mais), de culturas, de comportamentos, e por aí vai...

Vivemos no dilema de trabalhar ou viver... Vivemos na disputa por espaço onde não há mais lugares a se ocupar... Vivemos escravos do mundo, e as vezes de nós mesmos. São regras impostas, padrões que sabemos que devemos adotar, tendências que devemos encarar, modernidades que temos que aceitar. E aceitamos, muitas vezes sem perguntar onde isso pode nos levar.


Fonte da Imagem: CPFG.

28/01/2014

Beijinho no Ombro

Valesca arrasando na produção... digna de Lana Del Rey e Lady Gaga...

Bom, mas vim mesmo é compartilhar com vocês essa poesia musicada, e como a Valesca, "desejo a todazinimiga vida longa'

Um beijinho no ombro procês :*



ps: só não precisada da apresentação de power point repleta de agradecimentos no final... 

23/01/2014

Carrie

Não fosse pela Julianne Moore, o filme não teria um mínimo de graça (seu personagem apresenta um pouco mais de perigo, ódio... isso ficou bem interessante)...
 
 
Acabei de assistir  'Carrie' (2013) e tamanho foi meu descontentamento que só assisti até o final pra poder comentar depois...
 
Bom, pra quem viu a primeira versão (1976) e a segunda (2002) (várias vezes) e se impressionou com as expressões da Carrie 1 (Sissy Spacek) e da Carrie 2 (Angela Bettis), a atuação da jovem Chloë Grace Moretz deixou a desejar. Além do mais, a adaptação recente trouxe novos elementos, o que não poderia ser diferente, adaptados ao mundo atual, como os celulares, vídeos no youtube e um bullying mais agressivo, o que ficou atrativo, trazendo novamente a tona os questionamentos referentes às consequências da violência (física, verbal ou psicológica) contra o outro, principalmente no ambiente escolar.
Old Carrie  [1976] Versus New Carrie [2013] (Sissy e Chloë).
 
Com relação aos personagens da versão atual, não consigo me conformar com a diferença na atuação e comportamento dos mesmos. Uma que me deixou muito triste foi a professora Desjardin, interpretada pela Judy Greer, que na primeira e segunda versões tinha uma vivacidade e ferocidade que deixaram a sua personagem muito mais interessante. Já nessa versão, a indolência e pouca ação da professora deixou o personagem sem graça (quase com motivos pra Carrie matar ela também - o que não aconteceu).
 
Nas cenas principais, as clássicas do baile logo após o sangue de porco, a primeira versão mostrava uma Carrie assustada, com ódio e medo, assim como a segunda versão, causando sem grandes gestos toda a destruição no baile e deixando tantas vítimas. Já nessa versão, a Carrie pode ser vista como alguém que queria ver sangue e mortes e fazendo um sem número de gestos apontando pra onde as coisas deveria ir e quem deveria morrer e como... A segunda versão me deixou impressionado pelas expressões maravilhosas da Angela Bettis, que naturalmente tem uma expressão mais diferente do que somos acostumados a ver, e na pele da Carrie ela mostrou tudo o que se esperada da personagem.
 
Nesta última versão, o final trágico de sua mãe foi até interessante. Mas não mostrou todo o sofrimento que eu vi na segunda versão. Sem falar que o fim da  New Carrie também não me foi de muito agrado. 
Angela Bettis em cena de Carrie - 2002.
 
Enfim, com um excesso de efeitos especiais, o filme mostrou uma nova cara da Carrie (the Freak), sem, no entanto, alcançar o efeito nos telespectadores que as versões anteriores mostraram apenas com boa interpretação da jovem Carrieta White.

... na minha humilde opinião...

22/01/2014

Porque um pouquinho de pesquisa na internet não faz mal a ninguém...

De fato! Um pouquinho de pesquisa na internet não faz mal a ninguém. Pelo contrário, na minha opinião faz até bem... Você pode simplesmente acessar a internet e se deliciar com as milhões de publicações sobre determinado tema. Você pode descobrir quem são os principais pensadores da Administração, da Filosofia, da Semiótica... Você pode até mesmo descobrir o que é a semiótica... Enfim, 'na internet você pode tudo'.
Fonte da Imagem: Nova Escola.
Será?
 
Bom, não mesmo !
 
Na internet você não pode tudo. E principalmente você deve saber que nem tudo o que está lá é seu!
 
Como assim?? Assim mesmo.
 
 
Sabe quando você vê aqueles textos belíssimos postados na página do facebook dos seus amigos e pensa: 'peraê, Fulaninha(o) nem sabe o que é isso que tá falando'; ou quando você vai fazer um trabalhinho da escola e digita no google, por exemplo, 'o que é tecnologia da informação', ou qualquer outra pergunta. E ele, o google, como um bom professor, te responde dando milhares de opções pra você copiar e colar num documento em branco do Word.
 
Bem, isso não é fazer pesquisa. Isso é copiar. Ou pra ser mais preciso ainda: é plagiar (e quer ver a definição de plágio? clica aqui). Mas o que é pesquisa então?? Bem, poderia dar várias definições e explicações aqui, mas podemos começar entendendo a pesquisa como um conjunto de técnicas e ferramentas aplicadas na construção do conhecimento, ou seja, investigar um problema, um assunto, um tema, discutir esse tema sob a ótica de outros autores, e buscar fazer novos apontamentos sobre isso... É simples? Claro que não. Se fosse, imaginem a quantidade de livros, teses, artigos e outros relatos de pesquisa teríamos a nossa disposição.
 
Mas o que me incomoda é o por que de as pessoas fazerem 'pesquisa' na internet dessa maneira (Ctrl-C + Ctrl-V). Será que é preguiça? Será que é desinteresse? Será que eu sou muito piegas? Será que estudar não é mais importante já que você tem o google às suas mãos?
 
Será que hoje basta saber acessar a internet??
 
Bem, honestamente eu creio que não. E mais honestamente ainda: eu vejo que não.
 
Ser professor é muito bom, mas as vezes dá vontade de chorar... Principalmente quando você vê estudantes de graduação e pós-graduação realizando este tipo de 'pesquisas' desavergonhadas e ainda colocando 'agradeço a Deus e aos meus familiares pelo apoio...'. Puta que pariu né!? Além de fazer uma sem-vergonhice dessas ainda me coloca o nome de Deus no meio?
 
Bem, cada cabeça é uma sentença e cada pesquisa é única - desde que não seja um puro plágio.

19/01/2014

Turistando por aí...



Fotografia - Bob Monteiro
Locação - Bosque do Alemão (Casa de João e Maria) - Curitiba, PR.
19/01/2014

15/01/2014

Eu quero...

...
 
ser criança, brincar de pés descalços, tomar banho de chuva e me sujar na terra.
 
Eu quero ser gente grande por um dia da semana para que nos outros eu possa apenas brincar de ser quem eu quiser...
 
eu quero ter a certeza de que não sei de nada, mas que ninguém sabe também!
 
Eu quero ter um dia só meu, pra eu poder dividir com todas as pessoas.
 
Eu quero ser menos careta, ter mais consciência de que o mundo pode acabar.!.
 
Quero girar até ficar tonto pra ver a vida como ela realmente é e dançar sem parar, sem medo de errar, sem medo de cair.
 
Eu quero brincar de esconde esconde, só pra poder sumir em baixo da cama...
 
Eu quero ser livre só pra poder fugir pra qualquer lugar.
 
Eu quero nadar com os golfinhos, mergulhar em águas claras e respirar embaixo do mar pra depois subir à superfície voando num balão.
 
Quero tocar a areia branca da praia do meu coração...
 
Eu quero a felicidade, quero forte, quero muito, porque ela me faz querer sempre mais
 
...




ouvindo Dog Days are Over
 
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...