26/09/2017

Sem título mesmo, porque não sei que título colocar...

Olá!

Depois de mais de um ano longe desse meu pedacinho aqui na blogosfera/ciberespaço, hoje resolvi dar o ar da graça (ou dar graça ao ar... já nem sei) aqui no meu território virtual.

Foi um ano de muitas atividades e de muitos acontecimentos, pessoais, nacionais e mundiais.

Eu estou em uma dança (que já parece eterna) com o doutorado e quando penso que aprendi a coreografia a música muda e eu fico com a cara na poeira, mas sorrindo, porque sou brasileiro e não desisto nunca!

Além do doutorado, meu trabalho também tem recebido uma boa parcela do meu tempo, dividido entre leituras, escritas, anotações (e rabiscos em cantos de livros, cadernos, papeizinhos e por aí vai...), alunas/os, provas para elaborar e para corrigir. Mas isso tudo, apesar de exaustivo, é a melhor coisa dos meus dias.

No entanto, hoje reli minha última postagem (NÃO VAI TER ÓDIO) aqui no blog e fiquei pensando em como viemos parar aqui. Muito do que penso não mudou daquela postagem. Muito no Brasil mudou (para pior). Mais e mais políticos (bem daqueles que defendem a família e lutam contra a corrupção) aparecem todos os dias em delações, acusações, jogos de poder e mídia. A Globo (de quem eu já fui muito fã...) a cada dia manipula mais e mais a sociedade e uma grande parcela dos brasileiros segue o bonde, na mais literal vida de gado. Mas não estamos sozinhos. O mundo todo está sofrendo. Cada país à sua maneira e por suas dores.

E eu fico aqui me perguntando: 'como chegamos até aqui?'.


Eu não sei responder para mim mesmo, e nem sei se quero saber a resposta, porque só de pensar que chegamos aqui por conta de nossas próprias ações e omissões fico com medo de ter uma resposta certeira que me diga que eu sou também responsável por isso.

Toda injustiça que vi e calei. Todo sofrimento que vi e desviei o olhar. Tanta coisa que eu comprei e depois joguei fora... (e a lista só aumentaria, mas prefiro deixar algumas coisas no campo das reflexões dentro da minha cabeça mesmo).

Isso me dá medo. Medo de ver que eu não estou sozinho quando viro o olho para as dores do mundo. Não estou sozinho quando penso em mim primeiro. Não estou sozinho quando me calo com as injustiças (algumas contra mim mesmo). Não estou sozinho em ter deixado a sociedade assim: doente.

Nestes últimos meses as coisas mais absurdas (pelo menos para mim parecem absurdas) têm acontecido: Fora Temer assumindo efetivamente a presidência do país; Trump eleito nos EUA e regorgitando suas leis e códigos morais a torto e a direito (torto não, porque com ele é só direito [straight]); Gaga lançando um documentário que parece ser maravilhoso na Netflix, mas cancelando sua vinda ao Rock in Rio, (aqui outra notícia linda desse cancelamento que deixou milhares de littlle monster em prantos), e dando um tempo na Joanne Tour; Coréia do Norte brincando de soltar mísseis e fazer ameaças aos EUA; México sendo devastado pelas ações da natureza (será?!); Refugiados buscando um novo lar e encontrando mais desafios em várias partes do mundo; Brasil lançando mais uma tendência no campo da psicologia: a Cura Gay (isso me parece tão 2014...); e por aí vai.

A desinformação e a ignorância humana parecem não ter limites! E essas são algumas das maiores doenças da nossa época, pois criam seres que oprimem, que maltratam, que matam.  E isso me deixa com medo.

Mas ainda há esperança (sempre digo isso para mim mesmo, pois um dia isso pode se tornar verdade)! Enquanto houver pessoas que se importam com o próximo, que cuidam de si, mas também cuidam dos outros, que não oprimem, que entendem, que se posicionam, que defendem os mais fracos, haverá esperança. E o que me deixa assim, com medo mas esperançoso, é saber que perto de mim há pessoas assim: boas, gentis, que sorriem ao me ver, que tentam ser melhores a cada dia, por mais difícil que isso seja. Para mim há esperança, há fé (em Deus, na vida) na humanidade.

Por isso vim aqui, só para deixar essa mensagem: Por mais que tudo pareça perdido, não desista. Tente outra vez!

Enquanto isso, toca Raul!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...