16/10/2017

Paraísos Artificiais: as redes sociais e a 'felicidade' nossa de cada dia


Você alguma vez já se sentiu um/a inútil depois de ver o facebook ou o instagram de seus amigos?

Pois bem, não se sinta!

As vezes pensamos (principalmente depois de visitar as páginas de algumas pessoas nas redes sociais) que a vida alheia é mais interessante, mais divertida, mais amorosa, mais iluminada e mais feliz. Pode até ser que seja, mas isso não é problema. Se seus amigos e amigas estão felizes, fique feliz por eles também!

Agora, acreditar que tudo na internet é um paraíso é problema sim!

As vezes me pego pensando (e isso não é de hoje) no porquê de muitas pessoas se julgarem menores ao ver as suas timelines repletas de fotos de gente feliz, lugares bonitos, sorrisos, bichinhos transbordando fofura, ambientes decoradíssimos, mais sorrisos, gente na balada, gente praticando exercícios, gente fazendo yoga, comidas maravilhosas, maquiagens perfeitas, e por aí vai...

Gente, sério! Ninguém é feliz o tempo todo. Ninguém é bonito/a o tempo todo (acho que nem a Gisele Bündchen, mas vai saber né?!)! Ninguém está explodindo de energias positivas o tempo todo!

A internet tem poderes e benefícios incomensuráveis: aproxima pessoas geograficamente distantes; facilita os processos de comunicação entre pessoas e organizações; torna a informação mais acessível (será?); facilita os processos de comércio (hoje nem é preciso mais esperar 6 meses para receber os produtos comprados [a não ser no caso de alguns varejistas que vendem seus produtos pelo MarketPlace do Walmart, que eu NÃO RECOMENDO]) por meio de milhares de lojas de e-commerce; permite o acesso ao ensino superior formal (graduação e pós-graduação), sem contar nos inúmeros cursos e programas de capacitação; e muitas outras atividades que não seriam possíveis e nem imagináveis anos atrás (quando eu era criança – nem tantos anos atrás assim – jamais imaginaria que seria possível comprar coisas pela internet, pedir comida por aplicativos e assim por diante).

Por outro lado, a internet também tem um lado muito obscuro: torna pessoas (principalmente em tempos mais recentes) juízes e juízas da moral e dos bons costumes (pelo menos em público ou on-line); ajuda a proliferar o número de informações falsas; ajuda a proliferar o número de preconceituosos que se escondem por de trás de uma tela de computador e se apoiam em ideias e ideais de outros preconceituosos de plantão que já adquiriram notoriedade on-line [vide os bolsomitos]; aumentam os índices de fraudes em cartões de crédito, por exemplo (um grave problema de segurança da informação [ou a falta dela]); redução de atividades físicas em troca de um universo digital; exclusão de grupos sociais que não têm acesso à internet e/ou à ferramentas de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs); surgimento de grupos extremistas de fascistas, homofóbicos, xenofóbicos, intolerantes religiosos, dentre vários outros grupos (lembram que logo acima falamos que a internet aproxima pessoas? Então, as pessoas se aproximam com base em interesses comuns...) que surgem diariamente na rede; doenças relacionadas com o uso excessivo de celulares, computadores, jogos eletrônicos, etc; ‘dependência’; depressão; e outros muitos males que você deve conhecer ou imaginar.

E alguns destes problemas estão relacionados com este excesso de pessoas 'felizes' (não que eu odeie gente feliz...) que passam o dia compartilhando aventuras, descobertas, amores, gastronomias gourmet e muito mais.

Agora imagine uma rede social em que você tem mais de 100 amigos (hoje isso é fichinha!)! Certamente dentre eles alguém gosta de postar suas mais belas fotos, seus mais elaborados (ou não) textos e suas mais deliciosas refeições... Agora multiplique por 10! Pronto!! Sua timeline virou o paraíso \o/ (Pode comemorar! Você tem os amigos mais legais do mundo!! Não, péra!!!)

Muitas dessas pessoas - e eu devo confessar que adoro postar fotos dos pratos que são produzidos aqui em casa; da Yupi dormindo ou com lacinho quando acabou de voltar do pet shop; dos livros que eu leio; de mim na praia [não sou muito fã de praia e de areia, mas já que estou lá por que não caprichar na foto??] VIXE! Melhor ir parando de escrever... rsrs - têm uma necessidade [as vezes relacionada com o vício na internet; outras vezes com uma raiz mais profunda, que toca em questões de necessidades de afeto e atenção] de receber aquele coraçãozinho no instagram, ou das famosas curtidas no facebook.
Quando eu vou à praia tiro foto mesmo!
Mas poucas pessoas mostram, de fato, o que se passa em suas vidas ou naqueles momentos antes de tirar uma fotografia que representa apenas um fragmento do tempo e da história.

E por que isso?

Talvez porque admitir que o seu dia foi um lixo pode não ser tão atraente para outras pessoas. Talvez porque se alguém ver a sua cara toda amassada logo cedo se assuste e aquele crush desapareça de vez da sua vida. Talvez porque esses fragmentos do tempo e da história sejam o seu desejo de um momento de felicidade. Talvez porque você ficou muito feliz porque se encontrou com os amigos em um bar e quis compartilhar e eternizar o momento. Talvez porque aquele livro que você (e eu) leu pode interessar a alguém. Talvez porque se eu não tirar uma foto da Yupi no exato momento que ela chega do pet shop eu não consiga mais fazer isso porque ela já comeu o lacinho ou já se rolou toda pelos tapetes da casa até ficar parecendo um pelego. Talvez porque eu goste de cozinhar e goste de receber curtidas nas minhas fotos de comida. Talvez... Talvez...

O que importa não é o que nos leva a postar momentos [ou fragmentos do tempo e da história] felizes na internet. O que importa é que sabemos - ou deveríamos saber - que todo mundo tem um dia de bosta, uma comida que queimou na panela, um bolo que não deu certo, um café horrível [mas que fica bem na foto], uma briga com o namorado ou com a namorada, uma tristeza que as vezes surge sem motivo e fica ali um tempão. O que importa é que a gente lembre sempre que todo mundo é gente! E ‘gente’ não é a coisa mais perfeita desse planeta!

Gente erra, gente sonha, gente quer carinho, gente quer atenção, gente quer comer bem, gente quer ter amigos, gente quer ter bichinhos fofos, gente quer ir pra balada, gente quer ter um cluster igual Sense8 [eu queria...], gente sofre, gente chora, gente sorri.

A internet as vezes é um mundo de ilusões. Mas não dá pra ficar iludido com o paraíso alheio, senão ou você pode entrar em depressão ou pode querer competir e criar um mundo mais lindo ainda [e isso pode não ser tão legal]. 


Então, vamos olhar para as redes sociais com cautela! Comemorar as vitórias e alegrias dos amigos, mas ter em mente que nem tudo o que reflete é ouro [ahá, achou que não ia ter nenhum clichê??].

Os momentos mais felizes da nossa vida ficam na memória e no coração. Não precisam ser compartilhados sempre e nem todo mundo merece ver a sua felicidade, afinal [mais um clichê, mais um clichê, mais um clichê ->], a inveja tem sono leve, mas não tem problema, pois quem nos projete nunca dorme [\o/].

2 comentários:

  1. Caramba Ro! Dessa vez vc estava inspirado hein? Kkkkkkk Mas eu tbm acho esse assunto muito interessante. Acho q por causa da minha personalidade mesmo, raramente cheguei a pensar: "Nossa, queria ter a vida dessa pessoa", mas invejinha do design das fotos lindas sempre tenho hauahuaha Adoro tirar fotos lindas, mas não é uma tarefa fácil e tem gente q nasceu pra isso, parece. Rsrsrs Enfim, vc já assistiu Black Mirror???? Tem um episódio q é mto isso!!! As pessoas dão notas umas para as outras e vc consegue as coisas na vida baseado nessa média de notas, então acompanhamos uma garota "em ascensão" que é convidada para o casamento de uma amiga com nota altíssima e faz o impossível para chegar perfeita la e conhecer outras pessoas da elite. Claro que acontecem zilhões de coisas e a moral no final do episódio é mara! Bjos bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lidi, eu tava inspirado mesmo kkkk (só demorei pra responder aqui... sorry)
      E te entendo perfeitamente sobre essa invejinha do design das fotos rsrs

      Então, sobre Black Mirror: o primeiro episódio que assisti foi esse das notas no seu perfil. Achei fantástico e confesso que me vi na cena dela tirando foto do café rsrs.
      Super reflexão, né?!
      Todos os episódios trazem temas bem pertinentes para refletir sobre onde estamos chegando...
      Eu tenho medo dessas possibilidades, mas elas estão aí.
      Beijo grande.
      ps: sua carta está no caminho, se já não chegou rsrs

      Excluir

Compartilhe sua opinião e seus pitacos...

:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...