15/04/2018

Sete Anos e algumas poucas reflexões sobre o Tempo

O tempo é uma coisa muito engraçada... daquelas coisas engraçadas que ao mesmo tempo em que nos fazem rir nos tiram o chão. Mas isso não é algo ruim. Pelo contrário: é mais uma lição que o tempo - esse 'compositor de destinos', como já disse Caetano Veloso - nos proporciona.

Nos últimos meses, por exemplo, venho refletindo sobre o tempo... Sobre o meu tempo.

Passei os últimos sete anos envolto em atividades acadêmicas, mas sem deixar de lado (pelo menos tentei não deixar de lado) os prazeres e aventuras da vida. Foram sete anos repletos de momentos inenarráveis, de situações embaraçosas, de pessoas incríveis e de pessoas que passaram. Foram tempos de alegrias, de inseguranças, de descobertas e de encontros e desencontros. Vejo hoje que foram tempos de crescimento, pessoal e profissional.

Mas o que mais me chamou atenção foi o fato de eu não ter percebido, até pouco tempo atrás, que já se passaram Sete Anos desde que saí da minha cidade, do colo da minha mãe e me aventurei em terras estranhas (Curitiba é linda, mas é muito peculiar!). Tanta coisa aconteceu e tantas outras poderiam ter acontecido. E eu não percebi que o tempo passava!

Por outro lado, embora não tenha percebido eu vivi. Intensamente, com objetivos, com medos e com tudo o que a vida pôde me proporcionar: experiências, amigos, afetos... E isso vale muito mais que contar os anos, os meses, os dias e as horas. Isso vale uma vida!

O tempo, esse 'senhor tão bonito', me deu a oportunidade de crescer.

Costumamos falar que o tempo cura, mas hoje não vejo assim. Vejo que o tempo permite que nós mesmos possamos nos curar. O tempo não ensina, mas permite que nós mesmos possamos aprender com as experiências, com os erros, com os outros. Vejo ainda que o tempo nos dá todas as oportunidades, mas que nem sempre as percebemos, talvez por falta de maturidade, ou talvez por falta de tempo. Não sei se isso é bom ou ruim, mas sei que o tempo está por aí, passando, deixando marcas, compondo destinos.

Para mim esses sete anos passaram em um piscar de olhos. Quando os fechei eu era um e quando abri eu era vários. E isso eu devo ao tempo que passou e continua passando.

A nós, nesse meio tempo, cabe aproveitar cada segundo e viver da melhor forma possível, pois 'o tempo não para'. As experiências, a maturidade, a paciência (ou a falta dela) vêm com o tempo e a espera é o caminho pelo qual todos temos que passar. É preciso dar tempo ao tempo. O resto um dia vem!

Por hora fica aqui uma Oração ao Tempo!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...