21/01/2019

As palavras têm poder!


É comum ouvirmos que ‘as palavras têm poder’, mas nem sempre nos damos conta do que isso realmente significa. No entanto, entendemos muito bem quando recebemos de alguém (principalmente das pessoas mais próximas) um elogio, uma palavra de carinho ou ainda – e, geralmente, essas são as palavras que mais marcam – quando recebemos palavras duras, repreensões e desencorajamentos, que calam em nossa mente e ficam ali, dando voltas e tentando mostrar a todo momento que você é um fardo.

Bem, sentir na pele e na mente é fácil. Todos fazemos isso e sofremos com isso quando as palavras nos afetam. Mas e quando somos nós que estamos ferindo alguém com nossas palavras?

As vezes uma simples piada, uma brincadeirinha branca, um comentário ácido ou mesmo uma verdade dita de forma muito direta podem afetar o dia a dia, o comportamento e a vida de alguém.

Quase todas as pessoas guardam marcas de palavras que ouviam quando crianças, das ameaças para não mexer nas coisas alheias ou para agir de determinada maneira (que podem desencadear comportamentos oprimidos ou transgressores). Muitas dessas palavras não eram as mais gentis, ou as mais adequadas, para dirigir a uma criança. Por outro lado, muitas palavras ditas ainda na infância podem ter desencadeado em você uma coragem, uma vontade ou um incentivo para fazer alguma coisa...

Eu me recordo sempre das palavras e das atitudes da minha mãe sobre os estudos. Ela tanto me incentivava a estudar como me trazia, sempre que podia, livros, cadernos, papel, lápis, canetas e tudo o mais relacionado com a educação. Isso me encorajou! Me deu o incentivo que eu precisava para investir (aqui estou falando mais em investir tempo e dedicação) nos meus estudos. Hoje penso que se não fosse por essas palavras (e ações) na infância minha vida teria um rumo totalmente diferente. Não que isso seria ruim. Mas poderia não me deixar tão feliz como sou na profissão que escolhi.

Assim, pensar nas palavras ditas diariamente e nem sempre pensadas antes de dizer me faz questionar as minhas falas e as falas das pessoas ao meu redor. Encorajar alguém não custa nada, mas pode fazer toda a diferença na vida dessa pessoa. Assim como desencorajar também... E ambas as ações podem ser feitas por meio das palavras. 

Por isso pense, reflita e tenha certeza do que vai dizer para alguém. Você pode ajudar a construir vidas. E nunca é tarde para usar o dom da fala para coisas boas. Lembre-se: suas palavras têm poder!

16/01/2019

Perfil da Educação Superior Superior no Brasil

A realidade sobre as Instituições de Ensino Superior (IES) no Brasil vem mudando nos últimos anos. E estas mudanças acompanham, em grande parte, as mudanças da sociedade de um modo geral.

As IES surgiram no país - por volta do período de 1808 a 1827 - com uma proposta de atender às elites da época. No entanto, após décadas de adequações em suas estruturas, com o surgimento das universidades e com a ampliação dos cursos de graduação e pós-graduação ofertados pelas IES brasileiras, o acesso ao ensino superior foi facilitado e atualmente a forma de estudar também tem sido modificada.
Há alguns anos, a ideia de fazer uma faculdade estava estritamente atrelada ao ensino presencial e ao cumprimento de uma carga-horária semanal dentro das salas de aula. Esta realidade ainda é presente e muito forte dentro das IES, mas a Educação a Distância (EaD) vem conquistando espaço e ampliando cada vez mais o número de matrículas e o número de cursos ofertados.
De acordo com dados do Censo da Educação Superior (publicados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP), no ano de 2017 foram realizadas 8.286.663 de matrículas em cursos superiores. Destas, cerca de 1,8 milhão de matrículas foram realizadas por estudantes ingressaram em cursos na modalidade EaD, equivalendo a aproximadamente 21% do total de estudantes de cursos superiores do país, o que significa que 1 em cada 5 estudantes de graduação no Brasil estuda à distância.
Em comparação com o ano de 2016, o crescimento foi de cerca de 17% nas matrículas para a EaD, em contraposição do número de matrículas nos cursos presenciais, que teve uma leve queda de 0,4%. 
Estes números, que podem ser conferidos nas publicações do INEP neste link, indicam uma mudança no perfil da educação superior no Brasil, que passa a abranger cada vez mais um público que antes não tinha acesso ao ensino superior, seja por questões financeiras ou por falta de tempo, e que agora consegue concluir uma graduação e ampliar sua formação e suas possibilidades de emprego. Ainda, mostram que os números de cursos de graduação aumentaram significativamente, proporcionando novas oportunidades de formação. Outro dado relevante deste censo é com relação ao sexo dos estudantes. Em 2017, 4.719.482 matrículas foram realizadas por mulheres, enquanto 3.567.181 matrículas foram realizadas por homens, o que mostra que aproximadamente 57% da população de estudantes do ensino superior brasileiro é formada por mulheres.
Os cursos a distância geralmente são mais baratos que os cursos presenciais e possuem as mesmas características: carga horária compatível, disciplinas obrigatórias ao currículo do respectivo curso (em atendimento às Diretrizes Curriculares Nacionais - DCN - para os cursos de graduação ou aos dispostos no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia - CNCST), atividades práticas, trabalhos de conclusão de curso (quando for o caso e em atendimento às DCNs e ao CNCST), atividades avaliativas e diploma. O diploma dos cursos a distância possui a mesma validade dos cursos presenciais e no seu texto não aparece a informação da modalidade do curso (EaD ou Presencial).
Neste sentido, em tempos de acesso facilitado à internet e otimização do tempo, um curso a distância pode ser uma boa oportunidade para aqueles e aquelas que pretendem cursar um curso superior, mas não possuem a disponibilidade de dedicar cinco dias da semana para os estudos presenciais. Isso não significa, no entanto, que fazer um curso a distância dispensa dedicação e tempo. Pelo contrário: estudar em casa requer muito mais disciplina, organização do tempo e dedicação, mas com a vantagem de que o tempo para os estudos será organizado pelo próprio aluno.

--
O Censo da Educação Superior do ano de 2018 tem data prevista para divulgação de suas informações no dia 19/09/2019, conforme Portaria 945 de 26 de Outubro de 2018, disponível aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...